Efésios 6:14




Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a couraça da justiça.
Efésios 6:14

10 de abr de 2015

Livro de prosa: (Assim falou meu coração), autor: Charles Zimermann

A vida

Na vida o importante é ter Deus no coração, é ter familia, é ter amigos, é ter um amor.
A vida é a cada dia uma conquista, um sorriso sincero, uma abraço que cura, uma
palavra verdadeira. Na vida nem sempre tudo é belo, as vezes vem a tempestade e nos
deixa pra baixo, mas se você tiver Fé, se tiver amor, nada vai te derrubar. Na vida
precisamos perdoar, precisamos chorar, precisamos esperar, precisamos sorrir,
precisamos olhar nos olhos do outro, precisamos encontrar a poesia no beijo, na
bondade, na caridade, na esperança.
Não tem nada mais verdadeiro na vida que a pureza do carinho, do afeto, da honra do
caráter. Na vida precisamos olhar mais a lua, olhar mais as estrelas, temos que ter
certeza que a vida é um lar de bons sentimentos, onde não devemos guardar ódio, só o
amor salva, só na felicidade que encontramos a paz, e só na luz encontramos Deus.

Autor: Charles Magalhães Dedeco




A felicidade

Felicidade pra mim é ficar domingo com a família reunida, é orar todos os dias, é fazer
poesia em casa, é fazer amor na lua abençoada. Felicidade pra mim é ter uma família
que me ama, é encontrar Deus nas pequenas coisas da vida, é beijo sem despedida, é
beijar a amada numa tempestade de poesia, é ter um cachorro ou um gato que te amam,
é olhar o sol e fazer planos. A felicidade para ser concreta tem que ser romântica, tem
que ter fé, tem que ter bondade, tem que ter amor em qualquer idade. Eu só encontrei a
felicidade quando eu soube amar a solidão, porque aquele que é feliz sozinho, quando
encontra alguém, fica feliz por qualquer motivo. A felicidade é o encontro, o encontro
dos amigos, o encontro do casal, o encontro da família, o encontro de Deus.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


A Familia

A família é uma benção que Deus nos deu, é um sagrado amor. Os filhos são tudo de
mais perfeito na vida, é o nosso coração, é o nosso porto seguro. As mães são doces, são
eternas em nosso pensamento, são nossa alegria, e nosso amor. Os irmãos são nossos
melhores amigos, nosso refugio nos dias de solidão. A família é tudo de bom, são o
nosso jardim sem fim, são nossa melodia, são nossa poesia no meio do inverno do
mundo. Quero ter filhos, um amor, uma família de verdade, e cheia de carinho.
Na família as vezes tem brigas e tempestades, mas nunca a abandone, porque família é o
nosso maior tesouro. Sem família não existe felicidade, não existe amor, não existe
pureza. Aquele que tem uma família nunca esta sozinho, quem tem uma família tem
uma abraço tranqüilo, tem uma luz no caminho. Acredite em sua família, ame sua
família, ensine sua família o caminho do bem. Que a família seja abençoada, que o amor
vença as trevas, e que a união e a paz seja tudo aquilo que você espera.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


O humor

É preciso rir de nós mesmo, é preciso sorrir com os amigos, é preciso gargalhar sem
nenhum motivo. O humor Deus nos deu para levar a vida com mais calma, para não
deixar os problemas nos deixar triste. Quem tem humor enfrenta qualquer tempestade, o
humor nos faz acreditar em felicidade. Ria da piada, ria da conversa engraçada, ria das
cócegas, sorria da poesia torta. É preciso sorrir, sorria sem motivo, sorria sem sentido,
sorria loucamente, sorria com sabor de chocolate e pimenta da alegria. Ah, o humor, nos
faz tão engraçados, nos faz únicos, nos faz chegar ao topo da mais alta montanha da
esperança.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


O mundo

O mundo é um campo de batalhas, mas devemos guerrear com armas limpas, com
caráter e justiça. No mundo há tanta hipocrisia, tanta falsidade, tanto desamor, tanto
ódio, que as vezes me pergunto, se vale a pena continuar vivendo nele, e eu digo
sempre, sim vale, porque nos somos os responsáveis em deixar um mundo melhor para
os nossos filhos, um mundo de paz, um mundo sem guerra, sem violência e estupidez.
Porque um mundo só é bom quando é justo, quando existe respeito nele. È tão triste ver
pessoas falando mal das outras, querendo o mal para as outras pessoas. Eu só desejo o
bem, eu desejo paz e amor. Porque tudo que existe em mim é isso, e o que eu quero para
o mundo, eu quero para mim. Um mundo iluminado por Deus, e uma paz sem fim.
O mundo é bom, quando acreditamos que existem pessoas boas vivendo nele, e que
existe a bondade no sorriso humano.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


A poesia

A poesia nasce do acaso, nada é combinado, é tudo criado. A poesia nasce do dia, da
noite, do luar, do amor dos apaixonados, da melodia dos corações. Ela vive da fé, da
alegria, da poesia das estrelas. Ser poeta é exercer o exercício da pureza, do corte das
palavras, da poesia abençoada. Sou um poeta que ama a solidão, que faz questão do
silencio, que não tem medo do espanto, do tédio, nem do mundo do caos. Minha poesia
é uma poesia confessional, meio torta, meio apaixonada, meio cantada.
A poesia é eterna, porque o amor é eterno, e tudo o que existe de mais sagrado é a
poesia, a poesia faz Deus prestar atenção na nossa vida, faz os anjos chorarem, faz o ser
humano ser um iluminado. Faz o poeta ser um apaixonado.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


A paixão

A paixão as vezes é enganosa, nos faz desejar o que nos faz pecar. Só o amor é puro.
A paixão nasce da chama, o apaixonado fica cego, esquece tudo em volta, a paixão só se
contenta em satisfazer o seu desejo. Por isso abra os olhos, a paixão pode ser passageira.
Quem tem uma paixão tem alegria, mas não conhece a pureza do amor no fim do dia.
Devemos sentir paixão, mas temos que amar, temos que ir alem da carne, alem do beijo,
alem do sexo, alem do prazer, devemos encontrar o amor verdadeiro no que é puro.
Nós nos apaixonamos muitas vezes ao longo da vida, mas amar, amar de verdade só
quando dura para sempre. A paixão é uma febre que da e passa, mas o amor é o mais
poderoso sentimento do mundo. O amor é capaz de mover montanhas e plantar beijos
no jardim da felicidade.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


A música

A musica encanta minha alma, os músicos são apaixonados, gritam o seu amor. Trazem
calor e melodia, nos faz refletir e achar a luz do dia. A musica vem de Deus, nos acalma,
nos da paz, enche nossa vida de quero mais. É tão bom ouvir uma musica com a mulher
amada, fazer amor ouvindo uma musica romântica, cantar a vida, ter a melodia certa
para amar. A musica me da alegria, me da esperança de dias melhores, sem a musica eu
seria uma pessoa triste, sem poesia em minha vida. Graças a Deus existe a musica para
nos salvar de toda a falta de amor do mundo. Graças a Deus a musica existe para nos
libertar de toda a falta de sentimento.

Autor: Charles Magalhães Dedeco



O Carater

O caráter vem de família, não importa se você é rico ou pobre, gordo ou magro, alto ou
baixo, o caráter não tem gênero, o caráter vem de berço, o caráter vem da razão reta,
vem do coração justo. Pessoas sem caráter são falsas e se corrompem. Mas quem é
verdadeiro não se vende. Caráter tem quem escolheu viver o caminho da verdade, o
caminho da ética e o caminho do espelho limpo. O caráter é uma honra, e quem tem
essa honra tem tudo. Quem tem caráter não trai, não mente, não engana, não tenta ser
bonzinho, mas faz o que é certo. Age com o coração justo, age com o olhar limpo, e
com a palavra sincera.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


A mulher amada

A mulher amada é aquela que me tira o fôlego, que me respeita e me ama. A mulher
amada tem flores no cabelo, ela tem olhos lindos, tem um caráter admirável, ela nunca
trai, e nunca abandona o barco. A mulher amada quer amor verdadeiro, ela não se
contenta com migalhas, nem metade do amor, ela quer um amor inteiro, de janeiro a
dezembro. A mulher amada quer fazer amor de dia e de madrugada, ela quer paz e
risada. Ela quer ser única, quer ser a lua e as estrelas, quer encantar com seu sorriso,
quer amar com seu coração, não quer pecar na ilusão. Eu amo a minha mulher amada, e
dou carinho e infinitos beijos nela, dou meu calor e minha emoção, dou minha paixão e
a estação de verão. A mulher amada não quer só prazer, ela quer ser respeitada e amada
com todas as forças do coração. Ela quer ser abraçada e protegida, ela quer ser beijada
feito poesia.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


Os amigos

A amizade não pode existir apenas quando estamos tristes, mas também quando estamos
felizes. O verdadeiro amigo fica conosco quando estamos solitários, quando estamos
doentes, quando a lagrima cai. Ter um amigo é ter esperança, é ter confiança, é ter
abraço sincero. A amizade nasce sem interesse, não quer prazer, nem beijo na boca, nem
sente paixão carnal pelo outro. A amizade vem do coração, a amizade é pura, é um
aperto de mão confiável. Quem tem um amigo leal e verdadeiro tem tudo, tem um
irmão, tem a cura para a tristeza. Não existe nada melhor que alguém dizer que é seu
amigo, isso nos faz únicos, isso nos faz nos alegrar, e se sentir seguros.

Autor: Charles Magalhães Dedeco



O Verão

Eu desejo o verão, eu desejo o teu calor, eu desejo tua boca, eu desejo o teu prazer.
O verão é isso desejamos o fogo, o beijo de língua, verão na praia, verão com beijos na
chuva. O verão é o sol da esperança, é a criança correndo no jardim, é gatos no telhado
pulando e se amando. O verão nos da emoção, o verão é noite de amor e elevação.
Eu quero o verão para minha vida, verão é alegria, beijo na boca e poesia. Todo verão
tem romance, tem flores, tem namorados de mãos dadas, tem amores dando risada.
Eu desejo o verão para tua vida, eu desejo esse clima, desejo domingo de verão com a
família, cafuné na amada, e sexo na madrugada.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


O Inverno

A estação de inverno nos faz refletir, nos faz repartir o pão, nos faz ficar na união. O
inverno é para esquentar o coração, aquecer o corpo, fazer amor debaixo do cobertor,
tomar café quente, reunir a família no lar, acender a lareira, ganhar abraço da namorada,
e beijar com calor. O inverno é tão quente na madrugada, os corpos se agitam, a língua
procura amar, a poesia procura cantar, a lua procura brilhar, e a vida procura se
apaixonar.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


A alegria e a tristeza

Na alegria mora o sorriso puro, na alegria é onde nós vemos o quanto valeu a pena a
viver a vida. No sorriso mora o abrigo para nossas dores e sofrimentos. É na alegria que
aprendemos a comemorar o dia, comemorar o amor, comemorar a paz, comemorar a
poesia nova. Mas é na tristeza que ficamos mais fortes, viramos águia, ficamos
iluminados, mudados. É na tristeza que Deus nos ouvi, é na hora da perda, do abandono,
da ferida que ficamos como rocha, ficamos elevados, ficamos com mais caráter. É na
tristeza que aprendemos o quanto vale um sorriso, quanto vale um carinho, quanto vale
a família, quanto vale um amor. Uma te deixa pra cima, em alto astral, a outra te ensina
a ser um guerreiro, uma alma elevada, um ser humano justo e forte.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


A cidade e o campo

A cidade é onde mora a paixão, as ruas nos lembram outros tempos, tudo é tão agitado,
um espetáculo imperdível. Na cidade vivem as pessoas em busca de seus sonhos, a
correria do dia as vezes faz a gente esquecer das pequenas coisas da vida, a dar um
abraço, um sorriso, plantar uma arvore, fazer um jardim, a cidade é só paixão. Aqui há
fogo e ilusão. Aqui há também amor, mas só para aqueles que amam de verdade, com o
coração puro. Já o campo é só beleza, arvores e flores decoram tudo. No campo há
descanso, a vida tranqüila, também há amor inocente. No campo encontramos Deus, na
natureza que mostra sua beleza mais rara, são rios, lagoas, florestas e poucas pessoas.
No campo tudo é mais sincero, até mesmo o sorriso, o amor nasce das pequenas coisas
da vida, o amor nasce das pequenas atitudes. É isso que faz o lugar mais bonito.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


Os animais

Amo todos os animais, gosto de coelho, pingüim e foca, mas os animais que eu mais
gosto são os gatos e os cachorros. Quem tem um cachorro tem um amigo, você não
precisa ter dinheiro para ele gostar de você, você pode ser o homem mais idiota do
mundo, mesmo assim ele vai te amar. Quando o seu cachorro olha nos teus olhos,
quando ele lambe seu rosto, quando ele coloca a patinha na sua mão, quando ele deita
perto de você, ele esta dizendo que te quer bem, que te ama de verdade. O seu cachorro
te defende de tudo, ele fica com você até a hora da morte. Ele só quer carinho e atenção,
ele só quer a sua companhia. Dê o seu coração para o seu cachorro e ele vai dar o
tesouro maior do mundo que é o amor sincero.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


A arte

O artista é um ser iluminado, um mundo sem artistas seria um mundo muito chato, sem
criatividade, sem amor, sem paixão, sem inspiração, sem revolução. A arte é o que me
move, sem a arte eu seria um estrangeiro no mundo, uma ampulheta inerte. Minha
poesia não teria sentido, a musica seria desbotada, ninguém ouviria o meu grito. Os
artistas são almas que descrevem a vida, a vida complexa, a vida dos apaixonados, a
vida dos loucos, a vida abstrata. Só quem é louco consegue ser artista, o artista tem que
ser um revolucionário, alguém que vai mudar o mundo, e vai trazer vida nova a
humanidade. Um artista é alguém que se comunica com Deus, só quando vocês ficarem
loucos que vão conseguir serem artistas. A arte é a razão da loucura. Eu sou o louco
mais lúcido do mundo, mas sou artista, minha arte acorda quem esta cego, e desperta
quem quer amar.

Autor: Charles Magalhães Dedeco



Os livros

Os livros choram quando são fechados, quando são jogados no fogo. Os livros são a voz
do escritor. Um livro fechado é um mudo que esta sofrendo. É um cego que esta
morrendo. Não podemos permitir nunca que um livro seja rasgado ou queimado. Os
autoritários têm medo do livro aberto, tem medo do conteúdo, tem medo que alguém os
leia e faça revolução. O livro é para isso, fazer revolução, o livro é uma vida, uma alma
cheia de letras, um coração cheio de sentimentos. Quem não lê livros é vazio, porque o
livro nos faz viajar, nos faz refletir, nos faz devorar cada pagina, nos faz viver cada dia
mais, só para ler outro livro. O livro para mim é um pouco de mim, um pouco do que eu
penso, um pouco de imaginação, um pouco de tempero e paixão.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


Solidão

È preciso sentir solidão, a solidão me faz refletir, me faz suspirar, me faz procurar Deus.
É na solidão que encontramos força para enfrentar tempestades, a solidão nos guia até a
ponte da inspiração, a solidão me faz encontrar um caminho de caráter, a solidão me trás
as vezes tristeza, mas no outro dia me enche de fortaleza, da poesia ao meu dia. A
solidão é magia, é inspiração a noite, é minha amiga, é minha maior alegria quando
quero inspiração. A solidão é um leão, devora meus pensamentos, ela me faz flutuar sem
medo na noite de luar, me faz criar milhares de poesias cheia de magia. Sou um solitário
que não sabe viver longe da solidão, posso estar rodiado de pessoas, mas a solidão é
minha melhor companhia. Um dia eu me caso com a tal solidão.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


As mães

As mães são nosso maior tesouro, são especiais, são nosso porto seguro, são encantadas.
A mãe é abençoada, só quer o melhor para seu filho, mãe é assim, se preocupa, telefona,
chora, ela da carinho, enche de afeto o filho. Existem as mães solteiras, estas são
guerreiras, fazem tudo para ver seus filhos felizes. As mães tinham que ser eternas. Elas
são tão meigas, tão românticas, tão fortes. As mães de valor têm caráter, e educa seus
filhos para serem do bem, para seguirem o caminho justo. Eu amo minha mãe, minha
mãe é tudo em minha vida, minha mãe é meu oxigênio, meu exemplo. Minha mãe é um
jardim de flores de verão.

Autor: Charles Magalhães Dedeco

6 de abr de 2015

Livro: Poeta do amor (2014), -Poemas Iniciais (2003-2004) autor: Charles Zimermann,

...(Livro: Poeta do amor (2014)
(Algumas destas poesias foram corrigidas)
Poeta do amor


Sou o poeta do amor

Minha vida é construída no amor

Não sei viver sem amar

Deus, a lua, as pessoas, os animais e a natureza


Poeta eu sou, da poesia e do amor

Não sei mentir, minha verdade me salva

Meu caráter me faz caminhar no caminho certo

Sei que sou Brasileiro, mas sou cidadão do mundo


Sou poeta do amor

Com espírito reto e alma livre

Não sou desses que ama pela metade

Quando amo a mulher amada, amo inteiramente.








Arte


Sou um artista

Que age com amor

Sou um sonhador

Um poeta, um iluminado

Não sou um rei

Nem quero ser

Sou um artista

Que nasceu em outubro

Não quero falsidade

Quero amor e lealdade

Quero paixão nessa cidade.




Tempo


O tempo passou

E eu caminhei com o tempo

O tempo faz ferida

O medo de ser feliz

Me deixa pra baixo

O tempo passou

Mas eu não me calei

Não desisti, não permiti desistir

O tempo faz marcas no meu rosto

Sei que sou jovem

Mas minha tristeza de poeta

Não me acorda para a felicidade.













Carolina

Olhos azuis
Pele branca
Cabelo loiro
Resume quem é Carolina
Mulher de caráter
De bom coração
Que ama a Deus
Com todo seu coração.






















Letícia

Oh Letícia teu coração
Encantou-me
 Não sei se é amor ou amizade
Mas na verdade é puro
Tão verdadeira quanto à luz do dia
Assim você me apaixona
Com esse teu jeito
Com esse seu olhar
A poesia é assim
É beleza e paixão.




















Arte

Sou um artista
Que age com amor
Sou um sonhador
Um poeta, um iluminado
Não sou um rei
Nem quero ser
Sou um artista
Que nasceu em outubro
Não quero falsidade
Quero amor e lealdade
Quero paixão nessa cidade.



















Tempo

O tempo passou
E eu caminhei com o tempo
O tempo faz ferida
O medo de ser feliz
Me deixa pra baixo
O tempo passou
Mas eu não me calei
Não desisti, não permiti desistir
O tempo faz marcas no meu rosto
Sei que sou jovem
Mas minha tristeza de poeta
Não me acorda para a felicidade.


















Meu amor de ouro

Quero tua boca
Teus lábios
Teu sorriso puro
Quero você
Teu corpo
Tua pele
Tua sinceridade
Quero tua luz
Tua fé
Teus beijos
Quero você inteira
Quero você minha gata
Minha princesa inocente
Minha alma que sente
Você me amar...















Beijo

Teu beijo e macio e romântico
Teu beijo poesia
Teu beijo é luz do dia
Teu beijo é noite e fantasia
Teu beijo é calor e vulcão
Teu beijo é amor e paixão
Beijo na boca molhada
Beijo de cinema
Te beijo com desejo...





















Amor e estações

Te amo em todas as estações
Te desejo sem pudor
Apenas cheio de amor
Te amo pra sempre
O amor chegou derrepente
Sem avisar
Tomou conta do meu coração
Amor e estações
Te amo sem medo
Te amo sem segredos.




















Romance

Romance no fim do dia é bom
Na noite é puro amor
Gosto de você assim
Deitada na minha cama
Com cheiro de rosa
Nosso romance é assim
Com beijos, poemas e jasmim
Romance no fim do dia é bom
Nunca falta paz e amor
Nunca falta alegria e diversão
Nunca falta poesia e sexo paixão.



















Poema

O amor nasce do olhar
Do beijo
Do abraço
Do intervalo
Da nova pagina
Amor não nasce numa conversa
Nasce no olhar da alma
Na melodia da química
Na noite de luar
Na musica cantada
Na poesia do poeta.



















Quero fazer amor

Quero fazer amor na madrugada
Na poesia das palavras
Quero um amor quente
Que deseje a paixão
Que ame o inverno e o verão
Que não queira só diversão
Mas que queira amar com todo o coração
Quero uma princesa linda
Que ame a poesia
Que adore a melodia das estrelas
Quero fazer amor lá na lua...



















Amar a princesa

Ame quem esta do seu lado
Ame sua princesa, sua estrela
Ame até acabarem suas forças
Ame alem da estrelas
Ame com certeza sua alma
Sua fala
Suas palavras
Seus defeitos
Seus firmamentos
Ame sempre, até de olhos fechados
Ame e grite em cima da sua casa
No telhado
Espalhe se amor
Seja como for ame-a com poesia
Com flores nas mãos no fim do dia.












Nós dois

Numa cama de rosas
Estamos juntos
Entre tuas pernas
Teus seios
Tua malicia
Nossa fantasia
Nós dois no verão
Se amando
Cantando nas estrelas
Num imã romântico
Numa cama de rosas
Eu faço amor contigo
Num vicio de amor
Num olhar de paixão
Você me engole
Me faz de seu escravo
Seu unico amor
Seu único calor.












Sol de amor

Minha amada é meu raio de sol
Minha estrela mais bonita
Minha poesia infinita
Meu amor é assim
Pura magia
Minha amada é feita de fantasia
Tem olhos da cor do dia
Minha amada é meu luar
Minha melodia mais bonita
Minha vida
Minha amada é meu raio de sol
Minha fantasia sobre a cama e o lençol.


















Beijo

Teu beijo me encantou
Despertou o amor
Beijo de morando
Com sabor de chocolate
Mordidas e ação
Poesia e canção
Beijos e planos
Vida sem engano
Beijo nos lábios
Sou muito sábio
E ela tímida
Beijo no luar
Perto do mar.

















Princesa

Vou te valorizar
Vou te amar
Vou cantar ao luar
Vou te chamar de amor
Vou sentir teu calor
No beijo
No desejo
Vou te amar
Com todo meu coração
Vou te sentir
Com minha alma de verão.



















Amor

Nossa musica ainda toca
Nosso amor ainda vive
Na poesia mais livre
Meu coração ainda bate
Minha alma ainda sente
Um amor ardente
Nossos lábios ainda se beijam
Na noite de luar
Nossas mãos ainda estão juntas
Depois de varias lutas
Depois de varias lagrimas
O amor venceu
O amor vence tudo.

















Poema de amor

Vejo poesia em seu olhar
Vejo amor no seu cantar
Vejo alegria no seu viver
Vejo paixão em cada amanhecer
Teu beijo é meu lar
Teu abraço meu refugio
Te amo sem medo
Te amo sem segredo
Te amo assim
Com carinho sem fim
Vejo o luar em teus olhos
Vejo estrelas em nosso caminho
Vejo poemas em nosso destino.

















Te quero

Caminho entre ruas
Grito aos quatro cantos do mundo
Que te amo
Faço planos
Gatos nos telhados pulam
Eu e minha liberdade
Dançamos na rua
Em meio à chuva
Danço contigo
Busco abrigo
No seu abraço
Nos teus beijos
No desejo de paixão.

















Gata

Te desejo todos os dias
Os seus beijos
É luz e poesia
Te desejo
Meu maior desejo
É ter você
Como melodia
Te desejo
Teu corpo
Num lindo clima
Gata tímida
Quero te dar amor e fantasia
Gata poesia
Quero te ter todos os dias...
















O casal perfeito

Os dois têm amor no coração
Ela é esperta
Ele é sábio
Ela é modesta
Ele humilde
Os dois se amam
São fieis e românticos
Ela gosta de cazuza
Ele gosta de legião urbana
Ela toca piano
Ele toca violão
Eles fazem planos
Querem ter dois filhos
Um cachorro e um gato
Eles gostam de reunir a família
Os dois gostam da divina poesia
Ela gosta do sol
Ele gosta da lua
Ela gosta de dormir nua no lençol
Ele gosta de dormir depois de fazer amor
Ela tem bom coração
Ele tem caráter e uma boa educação.





Poema

Te vejo nas ruas
Sinto teu abraço
Quero você do meu lado
Meu poema
Fiz para você
Com todo o meu coração
Não quero tristeza
Você é minha alegria
Minha luz do dia.
Você é minha poesia
Meu amor de todo dia.



















Amo

Amo para o coração não azedar
Amo para minha alegria voltar
Amo para a dor ir embora
Amo as estrelas e a lua
Amo minha princesa nua
Amo o seu olhar
Amo o seu amar
Amo com todo o coração
Amo com paz e emoção.





















Cidade do amor

Ainda sei cantar nessa cidade
Ainda sei amar a vontade
Ainda sei cantar para minha metade
Ainda sei sonhar com lealdade
Ainda sei fazer amor no luar
Ainda sei te conquistar
Ainda sei o que é o amor
Ainda sei rimar a dor
Ainda sei te esperar
Ainda sei que você vai chegar
Ainda sei te amar...
Ainda sei te amar...


















Paixão na cama

Corpo nu na cama
Um corpo em cima do outro
Movimentos precisos
Gemidos e mais gemidos
É tudo na flor da pele
Eu canto
Eu clamo por desejo
Ela desce e levanta
Com um ar embriagado de lua
Talvez ela seja minha princesa
Talvez ela queira um amor
Talvez ela seja minha dor
Minha maior diversão de verão
Até eu encontrar a eterna lua paixão.
















Mulher com olor de maça

Essa mulher tem olor de maça
Sinto seu cheiro
Sinto seu desejo
Sinto sua pele
Sinto seu suspirar
Sinto tudo e não sei explicar
Essa mulher tem cheiro de maça
Será que ela me conhece
Ou será que ela me cobiça
Será que ela me quer
Ou será que ela é carente
Não importa se é loira ou morena
Para mulher bonita
Eu faço chover estrelas.



















Amor além de tudo

Te amo
Te devoro
Decoro teu sorriso
Faço do teu amor
O meu vicio
Te desejo
Te vejo sorrir
Te vejo chorar
Contigo eu gosto de estar
Te amo
Muito mais do que amo a lua
Te amo
Muito mais do que amo as estrelas
Você é minha poesia
Você é minha melodia no fim do dia.





















Preciso de tudo

Nós precisamos de mais milagres
Precisamos de mais água viva
Precisamos de mais paz
Precisamos de mais fé
Precisamos amar mais
Precisamos honrar mais
Precisamos de bondade
Precisamos de coragem
Para mudar o mundo
Precisamos de Deus
Para iluminar o mundo
Precisamos das estrelas
Precisamos amar
Precisamos amar
E alem de tudo precisamos perdoar.















O amor é assim

O amor é assim
Aperta e solta
E não tem fim
Quando o amor acaba
Não é amor
É tempestade passageira
Ainda que o vento do norte sopre
As estrelas sempre vão existir
Ainda que o mar seque
A lua sempre vai brilhar
Não há como amar na traição
Não há como amar na ilusão
Então ame cada vez mais
Só assim encontraras
O verdadeiro amor
Que pode não vir no verão
Mas no inverno
Ira te aquecer
De todo frio.











Na praia

A praia é um paraíso
Vejo sereias pelo mar
E pela areia a se bronzear
Vejo crianças inocentes brincando sobre o céu
Vejo o amor no ar
Naquele sol que derrete sorvete
Vejo uma loira a me olhar
Ela é a sereia mais bela daquele lugar
Parece um anjo
Parece uma estrela 
Talvez eu nade com ela até a lua
Talvez nos encontramos numa praia deserta
Ah, se ela quisesse ser meu poema de amor.

















Amor verdadeiro

No amor vai ter brigas
No amor vai ter ciúmes
No amor vai ter medo
No amor terá até anseios
Mas no amor terá poesia
No amor terá paz e melodia
Nem tudo são flores
Às vezes virão as tempestades e as dores
Mas se você ama
Se você ama de verdade
Não abandonaras o barco
Os cisnes ainda vão dançar juntos
A musica ainda vai tocar
As estrelas ainda vão brilhar quando a lagrima cair
No amor nem tudo é azul
As vezes chega a nuvem cinza
Porem se você encontrou o verdadeiro amor
Nada te fará desistir de ser feliz.









Solidão do poeta

Ainda me sinto solitário
Um homem com pecados
Porem tenho caráter e honra
Minha solidão vem de minha alma
Tenho poucos amigos
Tenho alguns inimigos
Mas eu me sinto só
Poucos beijos
Raros
Muitos abraços
Muitas risadas
Iluminadas palavras
Solidão eu sinto
Minha poesia sobrevive de migalhas
Meu amor esta longe
Minha fé ainda vive em mim
Meu coração quer ser livre...













Recomeçar

E hoje eu fiquei sozinho
Sobre o luar
E nada vai poder mudar
O que ficou pra trás
Mas se acaso um dia eu não quero mais
Só espero um dia eu voltar atrás
Para um dia recomeçar
Tudo outra vez
E sobre um olhar tão triste
Eu chorei
Diante dos teus olhos
Eu cantei
Chorar um dia eu não quero mais
Só espero um dia eu voltar atrás
Para um dia recomeçar
Tudo outra vez
Mas se acaso um dia eu não quero mais
Só espero um dia eu voltar atrás
Para um dia recomeçar
Tudo outra vez...










Pra te ter

Quero-te ver orar por mim
A mais linda oração
Vou cantar para ti
A mais linda canção
Quando eu te vi
Eu logo me apaixonei
Por teu coração
Por teu sorriso
Não quero te ver assim
Tão triste
Quero tua melodia
Sei que tua fé existe
Quero teu amor e nada mais
Quero teu amor e nada mais
Quero-te ver sorrir
Quero-te ver cantar
A mais linda melodia no ar
Quero-te ver sorrir
Quero-te ver cantar
A mais linda melodia no ar
Fiz uma poesia
Com estrelas e magia
Não quero te ver mais chorar
Não quero te ver mais chorar
Quero te ver voltar
Pra mim, pra mim, pra mim
Fiz essa canção
Pensando em você
Uma declaração, uma emoção
Pra te ter...Pra te ter...Pra te ter
Quero teu amor e nada mais
Quero teu amor e nada mais...






























Dedicatória de um poeta

 As grandiosas noites em solidão
Dos navios solitários que navegam sempre sozinhos
E repletos de inspirações altivas
Toda poesia que vive nas entranhas da lua
Dos beijos em adeus
Da saudade do sol que um dia nasceu
Todos os passos do amanhã
Todas as horas sem ponteiros
Aos poetas de Deus




















Poema na chuva

Dança o poema na chuva
O vento grita sobre a lua
Folhas secas voam na tempestade
Sobre a iluminada cidade

O poema caiu na violenta chuva
O poeta molhou a poesia secreta
Lagrimas rolaram de repente
No rosto do eu poeta.





















Viajante ingênuo

Sou um viajante
Navego por entre as montanhas sagradas
O mundo é minha casa
Meu coração porem pede paraíso
Sou um viajante
Um poeta nobre
Que sofre
Que grita
Que sonha
Que ama desesperadamente
A mulher amada
Que passa por mim
E não diz nada
Apenas olha e sorri.
















Poema de cabeça para baixo

A noite afundada em lama
A estrela caída no teto
A rua apagada solitária chora
O vento na nevoa sombria
Implora felicidade
O filosofo embriagado
Flutua nas nuvens de aço
A cidade em chama pede paixão
A solidão do poeta navega sobre a iluminação
O poema de cabeça para baixo
É para o mundo solução.



















Sobre o sol da varanda

Escrevo poemas no sol à tarde
O sol me da alegria e vontade
O horizonte é repleto de pássaros
Musica acorda meu coração de solidão

Sobre o sol da varanda
A melodia e o silencio é constante
Cachorros latem e correm atrás de gatos
Bananeiras maduras decoram o pátio

Não sei onde estão os vizinhos
Ao lado de minha casa
Tem uma bela morena
Não sei onde ela esta

Escrevo pensando nela
Quando ela vai chegar
Escrevo pensando em suas pernas
Em seus seios
Em sua voz
Em sua boca de cristal.









Cidade fria

A cidade no inverno chora vazia
A rua da cidade deserta pede alegria
Enfim, tudo é completo silencio

A cidade que no verão é fogo
E no inverno é tão triste a face do sol
Na cidade de inverno a vida é tão melancólica
A poesia fica congelada de tédio
Talvez um romance aquecesse essa cidade

Na cidade de inverno o amor suspira a noite
A cidade a noite é carente e elegante.


















Religião livre

Mais de mil anos de guerra
E o homem não encontrou o caminho das flores
Foram espadas, combates e canhões
Armas nucleares e enganações
Quando vão aprender que a escada
Para se chegar até o céu é o amor?
Deus quer a liberdade da fé.
Mais de mil anos de guerra
E os erros não podem ser pagos com sangue.





















Se prometer

Se prometer que vai amar para sempre
Cumpra
Se prometer que vai perdoar
Perdoe
Se prometer que vai procurar Deus
Procure
Se prometer que vai mudar
Mude
Se prometer que vai sorrir
Sorria
Se prometer que vai esquecer
Esqueça
Se prometer que encontrara poesia na vida
Encontre.
















Amor eterno

Mesmo que tudo termine
Mesmo que me falte ar
Mesmo que caiam todas as estrelas
Mesmo que a vida se torne cinza
Mesmo que o mundo desabe
E a poesia congele
Mesmo que o nosso olhar esteja distante
Mesmo que nossas bocas estejam longe
Mesmo que nossas mãos estejam segurando
Outras mãos, eu ainda te amarei
Minha princesa.



















O recomeço

Vamos recomeçar
O amor quer novamente amar
Vamos ir de volta ao começo
O primeiro beijo
O primeiro abraço
O primeiro sorriso
Vamos recomeçar
Quero casar com você
Quero amor eterno
Quero te ter do meu lado
Quero o teu coração espelhado.



















Esquecer e lembrar

É mais do que preciso
Esquecer os antigos amores
É mais do que preciso
Salvar o planeta
É mais do que preciso
Lembrar de namorar
É mais do que preciso
Esquecer o egoísmo e as magoas
É mais do que preciso
Aprender a tocar violão
É mais do que preciso
Aprender a fazer poesia
É mais do que preciso
Lembrar das melodias
É mais do que preciso
Ler Carlos Drummond de Andrade
E Álvares de Azevedo
É mais do que preciso
Esquecer aquele antigo amor
Para viver o novo.










Alma

Tenho alma
Dignidade e honra
Não me vendo
Sou puro
Concreto e cimento
Sou ferro e aço
Sou diamante
Tenho sabedoria e poesia
Tenho caráter e melodia
Sou poeta e tenho amor em meu peito
Tem coisas que só eu vejo
Com um olhar de águia
Tenho alma
E não me vendo
Não me venha com hipocrisia
Sou a verdade cristalina.














Desejos secretos

Minhas digitais ficaram gravadas em teu corpo nu.
Meu beijo ficou gravado no teu coração vermelho
Você é a fada do desejo puro
Mulher lua que ama o sol.
Do teu coração nascem desejos secretos
E poemas vivos
























Romance partido

No momento que a vi partir
Tudo mais partiu
Um navio otimista afundou
No mar da saudade
A lua adormece mais triste sem você
O sorriso do sol perdeu a cor
Longe de você
Não posso mentir pro meu coração
Que vi o cantor sem voz
A música morta
No momento que partiu
Você partiu uma parte de mim


















Mero engano

Não me encontro mais em lugar algum
Toda vez em que me vejo no espelho
O reflexo não é mais o mesmo
Meu sorriso desbotou
Numa amarga lembrança
A ferida não vai cicatrizar
Não tenho mais nada para ver
Ao menos quero dizer:
Quem em toda minha vida eu não consegui viver afastado da solidão
A vida levou o tempo
O tempo levou a vida
Na face do sol poente
Só peço a Deus que eu esqueça tudo isso...
Meu vicio foi amar demais
As estrelas no céu
Meu erro foi acreditar
Que elas não podiam cair.












Dificil e facil

Dificil é perder um ente querido e aceitar a vontade de Deus
Facil é rir a toa com os amigos
Dificil é não se preocupar com os outros tendo um coração
Dificil é ser adulto e aceitar os pecados que fez
Facil é jogar uma pedra
Dificil é lapida-la e torna-la uma flor
Dificil é aceitar a voz do coração
E aceitar o que se senti
Facil é dormir com a barriga cheia e conseguir fazer planos para o futuro
Dificil é pensar nos outros
E se colocar no lugar daqueles que não tem vez
















O poema enigma

O completo silêncio da noite
Às vezes me espanta esse tédio
Essa luz apagada da rua sombria
Esse grilo que não cala a boca
Esse canto mudo
Esse terror escuro
Procuro às vezes a poesia na vida
Aqui, ali, sei lá onde
Talvez no horizonte
No sonho, no gozo, no pecado, no grito
Ou na musica da palavra
No gemido da mulher amada
É tão complexo desvendar o enigma da poesia

















É uma ordem

Pensar na vida é uma ordem
Pensar no mundo é uma ordem
Pensar nas pessoas é uma ordem
Sobretudo amar e refletir são uma ordem
É uma ordem ser feliz
É uma ordem perdoar
É uma ordem encontrar o amor da sua vida
É uma ordem achar a justiça
É uma ordem ter uma família
É uma ordem pagar as dividas
É uma ordem ter progresso e razão
É uma ordem seguir Deus
É uma ordem ser verdadeiro e honroso
É uma ordem ser humilde e digno
É uma ordem casar com uma mulher bonita e inteligente
E amá-la eternamente













O amor é isso

O que é o amor
Senão a alma em fogo
O coração ciumento
A ponte que existe
Entre a razão e a emoção
O que é o amor
Senão a busca eterna pela felicidade
O beijo de língua
Beijando a vida
O que é o amor
Senão o desconhecido
A paixão dos barcos
Navegando rumo ao infinito e a perfeição
O que é o amor senão a chama
A sede do coração
O amor é a poesia da alma
É a união dos corpos em fogo














A despedida

O amor chegou ao fim
Um último adeus
Um último olhar nos olhos
Agora cada um para o seu canto
E a saudade vai tomar conta
Dos dois corações
É a vida
Somente os amores verdadeiros
Nunca acabam




















Quando eu partir

Se meus olhos fecharem e não mais abrirem
Não me acorde
Onde eu estiver
Eu estarei bem
Espere não corra
Você pode tropeçar
Fique calma
O mundo só aprendeu a caminhar
Um inocente caiu ajude-o
De água para quem tem sede de amor
Se meus olhos fecharem
E não mais abrirem
Não me acorde
Tenho meus poemas aqui comigo
Tenho Deus e Jesus de Nazaré
Se eu dormir
E não mais acordar
Não me acorde













Meu amor de ouro


Quero tua boca

Teus lábios

Teu sorriso puro

Quero você

Teu corpo

Tua pele

Tua sinceridade

Quero tua luz

Tua fé

Teus beijos

Quero você inteira

Quero você minha gata

Minha princesa inocente

Minha alma que sente

Você me amar...




Beijo


Teu beijo e macio e romântico

Teu beijo poesia

Teu beijo é luz do dia

Teu beijo é noite e fantasia

Teu beijo é calor e vulcão

Teu beijo é amor e paixão

Beijo na boca molhada

Beijo de cinema

Te beijo com desejo...

  


Amor e estações


Te amo em todas as estações

Te desejo sem pudor

Apenas cheio de amor

Te amo pra sempre

O amor chegou derrepente

Sem avisar

Tomou conta do meu coração

Amor e estações

Te amo sem medo

Te amo sem segredos.




Romance


Romance no fim do dia é bom

Na noite é puro amor

Gosto de você assim

Deitada na minha cama

Com cheiro de rosa

Nosso romance é assim

Com beijos, poemas e jasmim

Romance no fim do dia é bom

Nunca falta paz e amor

Nunca falta alegria e diversão

Nunca falta poesia e sexo paixão.




Poema


O amor nasce do olhar

Do beijo

Do abraço

Do intervalo

Da nova pagina

Amor não nasce numa conversa

Nasce no olhar da alma

Na melodia da química

Na noite de luar

Na musica cantada

Na poesia do poeta.




Quero fazer amor


Quero fazer amor na madrugada

Na poesia das palavras

Quero um amor quente

Que deseje a paixão

Que ame o inverno e o verão

Que não queira só diversão

Mas que queira amar com todo o coração

Quero uma princesa linda

Que ame a poesia

Que adore a melodia das estrelas

Quero fazer amor lá na lua...


Amar a princesa


Ame quem esta do seu lado

Ame sua princesa, sua estrela

Ame até acabarem suas forças

Ame alem da estrelas

Ame com certeza sua alma

Sua fala

Suas palavras

Seus defeitos

Seus firmamentos

Ame sempre, até de olhos fechados

Ame e grite em cima da sua casa

No telhado

Espalhe se amor

Seja como for ame-a com poesia

Com flores nas mãos no fim do dia.






Nós dois


Numa cama de rosas

Estamos juntos

Entre tuas pernas

Teus seios

Tua malicia

Nossa fantasia

Nós dois no verão

Se amando

Cantando nas estrelas

Num imã romântico

Numa cama de rosas

Eu faço amor contigo

Num vicio de amor

Num olhar de paixão

Você me engole

Me faz de seu escravo

Seu unico amor

Seu único calor.




Sol de amor


Minha amada é meu raio de sol

Minha estrela mais bonita

Minha poesia infinita

Meu amor é assim

Pura magia

Minha amada é feita de fantasia

Tem olhos da cor do dia

Minha amada é meu luar

Minha melodia mais bonita

Minha vida

Minha amada é meu raio de sol

Minha fantasia sobre a cama e o lençol.



Beijo


Teu beijo me encantou

Despertou o amor

Beijo de morando

Com sabor de chocolate

Mordidas e ação

Poesia e canção

Beijos e planos

Vida sem engano

Beijo nos lábios

Sou muito sábio

E ela tímida

Beijo no luar

Perto do mar.

  


Princesa


Vou te valorizar

Vou te amar

Vou cantar ao luar

Vou te chamar de amor

Vou sentir teu calor

No beijo

No desejo

Vou te amar

Com todo meu coração

Vou te sentir

Com minha alma de verão.



Amor


Nossa musica ainda toca

Nosso amor ainda vive

Na poesia mais livre

Meu coração ainda bate

Minha alma ainda sente

Um amor ardente

Nossos lábios ainda se beijam

Na noite de luar

Nossas mãos ainda estão juntas

Depois de varias lutas

Depois de varias lagrimas

O amor venceu

O amor vence tudo.




Poema de amor


Vejo poesia em seu olhar

Vejo amor no seu cantar

Vejo alegria no seu viver

Vejo paixão em cada amanhecer

Teu beijo é meu lar

Teu abraço meu refugio

Te amo sem medo

Te amo sem segredo

Te amo assim

Com carinho sem fim

Vejo o luar em teus olhos

Vejo estrelas em nosso caminho

Vejo poemas em nosso destino.




Te quero


Caminho entre ruas

Grito aos quatro cantos do mundo

Que te amo

Faço planos

Gatos nos telhados pulam

Eu e minha liberdade

Dançamos na rua

Em meio à chuva

Danço contigo

Busco abrigo

No seu abraço

Nos teus beijos

No desejo de paixão.



Gata


Te desejo todos os dias

Os seus beijos

É luz e poesia

Te desejo

Meu maior desejo

É ter você

Como melodia

Te desejo

Teu corpo

Num lindo clima

Gata tímida

Quero te dar amor e fantasia

Gata poesia

Quero te ter todos os dias...




Poema


Te vejo nas ruas

Sinto teu abraço

Quero você do meu lado

Meu poema

Fiz para você

Com todo o meu coração

Não quero tristeza

Você é minha alegria

Minha luz do dia.

Você é minha poesia

Meu amor de todo dia.


Amo


Amo para o coração não azedar

Amo para minha alegria voltar

Amo para a dor ir embora

Amo as estrelas e a lua

Amo minha princesa nua

Amo o seu olhar

Amo o seu amar

Amo com todo o coração

Amo com paz e emoção.

  


Cidade do amor


Ainda sei cantar nessa cidade

Ainda sei amar a vontade

Ainda sei cantar para minha metade

Ainda sei sonhar com lealdade

Ainda sei fazer amor no luar

Ainda sei te conquistar

Ainda sei o que é o amor

Ainda sei rimar a dor

Ainda sei te esperar

Ainda sei que você vai chegar

Ainda sei te amar...

Ainda sei te amar...


Paixão na cama


Corpo nu na cama

Um corpo em cima do outro

Movimentos precisos

Gemidos e mais gemidos

É tudo na flor da pele

Eu canto

Eu clamo por desejo

Ela desce e levanta

Com um ar embriagado de lua

Talvez ela seja minha princesa

Talvez ela queira um amor

Talvez ela seja minha dor

Minha maior diversão de verão

Até eu encontrar a eterna lua paixão.

  


Mulher com olor de maça


Essa mulher tem olor de maça

Sinto seu cheiro

Sinto seu desejo

Sinto sua pele

Sinto seu suspirar

Sinto tudo e não sei explicar

Essa mulher tem cheiro de maça

Será que ela me conhece

Ou será que ela me cobiça

Será que ela me quer

Ou será que ela é carente

Não importa se é loira ou morena

Para mulher bonita

Eu faço chover estrelas.





Amor além de tudo


Te amo

Te devoro

Decoro teu sorriso

Faço do teu amor

O meu vicio

Te desejo

Te vejo sorrir

Te vejo chorar

Contigo eu gosto de estar

Te amo

Muito mais do que amo a lua

Te amo

Muito mais do que amo as estrelas

Você é minha poesia

Você é minha melodia no fim do dia.






Preciso de tudo


Nós precisamos de mais milagres

Precisamos de mais água viva

Precisamos de mais paz

Precisamos de mais fé

Precisamos amar mais

Precisamos honrar mais

Precisamos de bondade

Precisamos de coragem

Para mudar o mundo

Precisamos de Deus

Para iluminar o mundo

Precisamos das estrelas

Precisamos amar

Precisamos amar

E alem de tudo precisamos perdoar.



Na praia

A praia é um paraíso
Vejo sereias pelo mar
E pela areia a se bronzear
Vejo crianças inocentes brincando sobre o céu
Vejo o amor no ar
Naquele sol que derrete sorvete
Vejo uma loira a me olhar
Ela é a sereia mais bela daquele lugar
Parece um anjo
Parece uma estrela 
Talvez eu nade com ela até a lua
Talvez nos encontramos numa praia deserta
Ah, se ela quisesse ser meu poema de amor.


Amor verdadeiro

No amor vai ter brigas
No amor vai ter ciúmes
No amor vai ter medo
No amor terá até anseios
Mas no amor terá poesia
No amor terá paz e melodia
Nem tudo são flores
Às vezes virão as tempestades e as dores
Mas se você ama
Se você ama de verdade
Não abandonaras o barco
Os cisnes ainda vão dançar juntos
A musica ainda vai tocar
As estrelas ainda vão brilhar quando a lagrima cair
No amor nem tudo é azul
As vezes chega a nuvem cinza
Porem se você encontrou o verdadeiro amor
Nada te fará desistir de ser feliz.



Solidão do poeta

Ainda me sinto solitário
Um homem com pecados
Porem tenho caráter e honra
Minha solidão vem de minha alma
Tenho poucos amigos
Tenho alguns inimigos
Mas eu me sinto só
Poucos beijos
Raros
Muitos abraços
Muitas risadas
Iluminadas palavras
Solidão eu sinto
Minha poesia sobrevive de migalhas
Meu amor esta longe
Minha fé ainda vive em mim
Meu coração quer ser livre...
  

Recomeçar

E hoje eu fiquei sozinho
Sobre o luar
E nada vai poder mudar
O que ficou pra trás
Mas se acaso um dia eu não quero mais
Só espero um dia eu voltar atrás
Para um dia recomeçar
Tudo outra vez
E sobre um olhar tão triste
Eu chorei
Diante dos teus olhos
Eu cantei
Chorar um dia eu não quero mais
Só espero um dia eu voltar atrás
Para um dia recomeçar
Tudo outra vez
Mas se acaso um dia eu não quero mais
Só espero um dia eu voltar atrás
Para um dia recomeçar
Tudo outra vez...


Pra te ter

Quero-te ver orar por mim
A mais linda oração
Vou cantar para ti
A mais linda canção
Quando eu te vi
Eu logo me apaixonei
Por teu coração
Por teu sorriso
Não quero te ver assim
Tão triste
Quero tua melodia
Sei que tua fé existe
Quero teu amor e nada mais
Quero teu amor e nada mais
Quero-te ver sorrir
Quero-te ver cantar
A mais linda melodia no ar
Quero-te ver sorrir
Quero-te ver cantar
A mais linda melodia no ar
Fiz uma poesia
Com estrelas e magia
Não quero te ver mais chorar
Não quero te ver mais chorar
Quero te ver voltar
Pra mim, pra mim, pra mim
Fiz essa canção
Pensando em você
Uma declaração, uma emoção
Pra te ter...Pra te ter...Pra te ter
Quero teu amor e nada mais
Quero teu amor e nada mais...


Dedicatória de um poeta

 As grandiosas noites em solidão
Dos navios solitários que navegam sempre sozinhos
E repletos de inspirações altivas
Toda poesia que vive nas entranhas da lua
Dos beijos em adeus
Da saudade do sol que um dia nasceu
Todos os passos do amanhã
Todas as horas sem ponteiros
Aos poetas de Deus


Poema na chuva

Dança o poema na chuva
O vento grita sobre a lua
Folhas secas voam na tempestade
Sobre a iluminada cidade
O poema caiu na violenta chuva
O poeta molhou a poesia secreta
Lagrimas rolaram de repente
No rosto do eu poeta.


Viajante ingênuo

Sou um viajante
Navego por entre as montanhas sagradas
O mundo é minha casa
Meu coração porem pede paraíso
Sou um viajante
Um poeta nobre
Que sofre
Que grita
Que sonha
Que ama desesperadamente
A mulher amada
Que passa por mim
E não diz nada
Apenas olha e sorri.


Poema de cabeça para baixo

A noite afundada em lama
A estrela caída no teto
A rua apagada solitária chora
O vento na nevoa sombria
Implora felicidade
O filosofo embriagado
Flutua nas nuvens de aço
A cidade em chama pede paixão
A solidão do poeta navega sobre a iluminação
O poema de cabeça para baixo
É para o mundo solução.


Cidade fria

A cidade no inverno chora vazia
A rua da cidade deserta pede alegria
Enfim, tudo é completo silencio
A cidade que no verão é fogo
E no inverno é tão triste a face do sol
Na cidade de inverno a vida é tão melancólica
A poesia fica congelada de tédio
Talvez um romance aquecesse essa cidade
Na cidade de inverno o amor suspira a noite
A cidade a noite é carente e elegante.


Religião livre

Mais de mil anos de guerra
E o homem não encontrou o caminho das flores
Foram espadas, combates e canhões
Armas nucleares e enganações
Quando vão aprender que a escada
Para se chegar até o céu é o amor?
Deus quer a liberdade da fé.
Mais de mil anos de guerra
E os erros não podem ser pagos com sangue.


Se prometer

Se prometer que vai amar para sempre
Cumpra
Se prometer que vai perdoar
Perdoe
Se prometer que vai procurar Deus
Procure
Se prometer que vai mudar
Mude
Se prometer que vai sorrir
Sorria
Se prometer que vai esquecer
Esqueça
Se prometer que encontrara poesia na vida
Encontre.


O recomeço

Vamos recomeçar
O amor quer novamente amar
Vamos ir de volta ao começo
O primeiro beijo
O primeiro abraço
O primeiro sorriso
Vamos recomeçar
Quero casar com você
Quero amor eterno
Quero te ter do meu lado
Quero o teu coração espelhado.


Esquecer e lembrar

É mais do que preciso
Esquecer os antigos amores
É mais do que preciso
Salvar o planeta
É mais do que preciso
Lembrar de namorar
É mais do que preciso
Esquecer o egoísmo e as magoas
É mais do que preciso
Aprender a tocar violão
É mais do que preciso
Aprender a fazer poesia
É mais do que preciso
Lembrar das melodias
É mais do que preciso
Ler Carlos Drummond de Andrade
E Álvares de Azevedo
É mais do que preciso
Esquecer aquele antigo amor
Para viver o novo.


Alma

Tenho alma
Dignidade e honra
Não me vendo
Sou puro
Concreto e cimento
Sou ferro e aço
Sou diamante
Tenho sabedoria e poesia
Tenho caráter e melodia
Sou poeta e tenho amor em meu peito
Tem coisas que só eu vejo
Com um olhar de águia
Tenho alma
E não me vendo
Não me venha com hipocrisia
Sou a verdade cristalina.


Desejos secretos

Minhas digitais ficaram gravadas em teu corpo nu.
Meu beijo ficou gravado no teu coração vermelho
Você é a fada do desejo puro
Mulher lua que ama o sol.
Do teu coração nascem desejos secretos
E poemas vivos


Romance partido

No momento que a vi partir
Tudo mais partiu
Um navio otimista afundou
No mar da saudade
A lua adormece mais triste sem você
O sorriso do sol perdeu a cor
Longe de você
Não posso mentir pro meu coração
Que vi o cantor sem voz
A música morta
No momento que partiu
Você partiu uma parte de mim


Mero engano

Não me encontro mais em lugar algum
Toda vez em que me vejo no espelho
O reflexo não é mais o mesmo
Meu sorriso desbotou
Numa amarga lembrança
A ferida não vai cicatrizar
Não tenho mais nada para ver
Ao menos quero dizer:
Quem em toda minha vida eu não consegui viver afastado da solidão
A vida levou o tempo
O tempo levou a vida
Na face do sol poente
Só peço a Deus que eu esqueça tudo isso...
Meu vicio foi amar demais
As estrelas no céu
Meu erro foi acreditar
Que elas não podiam cair.
  

Dificil e facil

Dificil é perder um ente querido e aceitar a vontade de Deus
Facil é rir a toa com os amigos
Dificil é não se preocupar com os outros tendo um coração
Dificil é ser adulto e aceitar os pecados que fez
Facil é jogar uma pedra
Dificil é lapida-la e torna-la uma flor
Dificil é aceitar a voz do coração
E aceitar o que se senti
Facil é dormir com a barriga cheia e conseguir fazer planos para o futuro
Dificil é pensar nos outros
E se colocar no lugar daqueles que não tem vez


O poema enigma

O completo silêncio da noite
Às vezes me espanta esse tédio
Essa luz apagada da rua sombria
Esse grilo que não cala a boca
Esse canto mudo
Esse terror escuro
Procuro às vezes a poesia na vida
Aqui, ali, sei lá onde
Talvez no horizonte
No sonho, no gozo, no pecado, no grito
Ou na musica da palavra
No gemido da mulher amada
É tão complexo desvendar o enigma da poesia
  

É uma ordem

Pensar na vida é uma ordem
Pensar no mundo é uma ordem
Pensar nas pessoas é uma ordem
Sobretudo amar e refletir são uma ordem
É uma ordem ser feliz
É uma ordem perdoar
É uma ordem encontrar o amor da sua vida
É uma ordem achar a justiça
É uma ordem ter uma família
É uma ordem pagar as dividas
É uma ordem ter progresso e razão
É uma ordem seguir Deus
É uma ordem ser verdadeiro e honroso
É uma ordem ser humilde e digno
É uma ordem casar com uma mulher bonita e inteligente
E amá-la eternamente


O amor é isso

O que é o amor
Senão a alma em fogo
O coração ciumento
A ponte que existe
Entre a razão e a emoção
O que é o amor
Senão a busca eterna pela felicidade
O beijo de língua
Beijando a vida
O que é o amor
Senão o desconhecido
A paixão dos barcos
Navegando rumo ao infinito e a perfeição
O que é o amor senão a chama
A sede do coração
O amor é a poesia da alma
É a união dos corpos em fogo


A despedida

O amor chegou ao fim
Um último adeus
Um último olhar nos olhos
Agora cada um para o seu canto
E a saudade vai tomar conta
Dos dois corações
É a vida
Somente os amores verdadeiros
Nunca acabam


Quando eu partir

Se meus olhos fecharem e não mais abrirem
Não me acorde
Onde eu estiver
Eu estarei bem
Espere não corra
Você pode tropeçar
Fique calma
O mundo só aprendeu a caminhar
Um inocente caiu ajude-o
De água para quem tem sede de amor
Se meus olhos fecharem
E não mais abrirem
Não me acorde
Tenho meus poemas aqui comigo
Tenho Deus e Jesus de Nazaré
Se eu dormir
E não mais acordar
Não me acorde
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Livro: Poemas Iniciais (2003-2004)
Autor: Charles Magalhães Dedeco






Este é o fim da escrita, vou parar por enquanto de escrever, vai começar o livro. Leia caro leitor, antes que a poesia corra e voe por entre estas paginas. Então vire a pagina, e viva estes solitários poemas, espero do fundo de minha alma, e de meu humilde coração navegante, que você goste deste luminoso livro.

                                     Autor: (Charles Magalhães Dedeco).


Por fim, amigos leitores.
“Examinai tudo, retende o que é bom.”.
I Tessalonicenses 5.21: Apóstolo Paulo









IV



Apresentação

Vamos reavivar a razão, a paixão, e acordar o coração!
Este é o meu livro dos versos em prosa, dos pensamentos,
Das poesias simplesmente vivas, e das poesias livres.
 É onde se encontra a verdadeira melodia.
Não no disfarce, mas no pensamento que voa!
Na poesia que não se corrompe na mentira!
Essa é a vontade da verdade, e do desejo da salvação!
Inspirações poéticas é um livro para os sonhadores.
Aqui você encontrara as respostas que sempre aspirou Saber,
Sobre a poesia que vive sobre nossos olhos,
 Sobre a vida que corre por entre as ruas e as estrelas.
No meio da cidade caminhava a poesia social de Bertolt Brecht,
 E no céu voava a poesia religiosa do poeta William Blake.
Flutuais profundamente, até achar o poema enigma.
Assim nasce do espanto, do descobrimento e no riso irônico.
Vamos adentrar agora minha poesia, essa é minha chave!
Eu sozinho, abri a porta da sabedoria, mas Deus me ajudou a não cair.
Vamos então, caminhar alem destes caminhos?
            Vamos adentrar meus poemas noturnos, sociais e sensuais!
                                                            
(Autor: Charles Magalhães Dedeco).


Falando sobre minha poesia:

Resumindo,
É mil vezes
Pureza e desejo.
Mil vezes amor e paixão.
Basicamente,
É poesia e emoção.







1

Humilde poema


Meus poemas me inebriam de anseios.
E os teus lábios de mulher abrem meu coração.
Estes poemas são verdadeiros.
Porque essa é minha missão...

Poemas são pedaços de sonhos reais.
E veracidades e quimeras poéticas.
Meus poemas são livres e líricos.
Canto para a mulher do curto vestido.

Canto a amada e para a beleza delirante.
Neste poema, romântico, cáustico e tolerante.
Poema esse, querendo viver e voar.
Amar a inspiração que dança sobre o ar.

Meus poemas me embriagam de anseios.
E os teus lábios de mulher acendem meu coração.
Os meus poemas são verdadeiros.
Porque essa é minha missão...


















2

Poema soneto livre


Começarei assim este meu soneto poema.
Com graça e assombro, assim descobrirei a chave.
Como um brado grave, cáustico e breve.
Vou compor aqui à noite, eis todo meu dilema.  

Verso nevoento, livre de qualquer impedimento.
Poema sóbrio, sombrio, ignóbil e ingênuo.
Cantarei no dia noturno a donzela e ao firmamento.
Num clima de canção, ardor e solidão de gênio.

E com astúcia e intuição farei uma melodia.
A gozar a brisa da razão e da imaginação.
Meu poema soneto será minha iluminação.

Mas sozinho não ficarei nessas horas de enlevo e elevação.
Quero uma linda moça tropical, dos lábios macios e com um corpo com energia.  Quero uma abrasadora mulher que me dê infindável paixão.

Autor: Charles Magalhães Dedeco

















3

 Brasil do presente, prós e contras


Estamos andando ou parado no progresso?
O exterior diz que o Brasil melhorou.
Talvez amanhã a vida cante com mais verso.
Sim, estamos decolando... Progredindo na democracia.
Caminhando rumo ao futuro de ouro. Rumo ao dia,
Sei que o tesouro do Brasil é o próprio povo!
O que falta para melhorar é a Igualdade social!

Oh, Brasil do passado.
No mar das ilusões você estava perdido!
Numa terra tenebrosa e insegura.
Na economia do ontem era oposto de progresso.
Vida em retrocesso e parada.

Oh, Brasil do presente, tua política esta deprimente.
Mas confesso que não tenho mais tantos pesadelos.
A divida externa esta limpa. Eu vejo o bom clima.
Alguns burgueses preferem prudência e pessimismo.
Os povos nas ruas acreditam na nova política social.
No prato tem mais carne de qualidade, alguns dizem.
Na cidade e nos campos mais emprego, outros admitem. Roupa nova, sapato novo, e vida nova.
Alguns dançam e cantam talvez os otimistas.
Outros preferem não entrar no clímax do deslumbre.

Autor: Charles Magalhães Dedeco











4

O poeta querendo viver


Sai por ai.
Com minhas asas de guri.
Chutando pedras.
Amando as musas.
Sonhei e Sorri!

Nessa vida urbana, o amor quer cantar.
Nessa cidade quero correr até a lua.
Cantar a moça amada que passa na rua...

Quero namorar a beatriz!
Por isso vou indo... Encontrá-la.
Vou sair por ai. E achá-la!
Achar a garota Beatriz.

Eis, irei amá-la. Sei que sou Lúcido e lírico!
Mas sou ainda imaturo e humilde.
Porque venho de um ocidente puro.
Porem eu sou um poeta cheio desejo e orgulho.













                                                  


5


Poema para mim mesmo


Abra a janela dos olhos.
O crepúsculo do teu coração.
Pois agora é tempo de fulgura e infinita canção.

Abrace a vontade do desejo.
Descubra o caminho da felicidade.
Viva um amor, essa intensidade!
Com excitação, música e paixão.

A ordem é amar e viver! Não sofrer!
Procurar uma deliciosa mulher de carne e osso.
E cantar pelas ruas tentadoras, a vida e ao sonho.

Essa é a verdade! Poemas livres!
Os suspiros da infância são pueris.
As flores do deserto são irreais, utópicas e imaturas. Essa é a verdade! Poema da verdade.

Essa mulher não é só uma flor rosa,
mas uma mulher linda.
É uma sereia humana, é a poesia viva. 
Com curvas, e lábios que me saciam a sede.
A mulher tem alma e emoção íntima.
A mulher é minha paixão sem fim. Claro jardim.






6

À noite, encontrei uma paixão


Chegou à noite.
Passo por uma rua.
E vejo nos bares lamúrias.
Homens embriagados.
Dento da solidão!
Homens sem fé sem luz.
Buscando num copo.
Uma paixão perdida.
Num outro.
Problema do dia a dia...

A noite amiga dorme num sol acordado.
Os poetas fumam poesias em seus lares.
E bebem esperança nos bares descrentes!

Chega à noite, uma mulher na rua passa.
Estou perdidamente apaixonado, digo a ela.
Se ela quisesse ser minha romântica namorada.
Então recitaria canções românticas eternas.
Daria vinhos, bombons, livros, discos e flores.
Mil beijos, infinitos prazeres de felicidade a ela.

Autor: Charles Magalhães Dedeco














7

Diga não, ao trabalho infantil!
                                                      

Enxerguei crianças trabalhando
As crianças trabalhavam infinitos minutos.
Minha visão e meu coração entristeceram-me.
Com as grades sem liberdade!
A tristeza das mãos sem livros.
Calejados corações sofridos, em aflita situação.
Do ilusório comércio,
Do falho capitalismo em escravidão!
                     
Que sistema é esse nosso país?
Que mundo é esse, uma estrada sem rumo?
Por quem você vai lutar, para achar a justiça feliz?
As crianças devem estudar e brincar, e nunca trabalhar!
Dê livros, amor e escola!






















8

Cintilantes


As estrelas caíram,
E a noite se calou.
Tudo em mim,
Sozinho ficou!

Em meu quarto as luzes estão acessas.
A porta entreaberta, discreta, brilha cintilante.
No caminho das ruas, a noite fica gelada,
E de mascaras sombrias.

Quem hoje vai sonhar?
Quem hoje vai querer enxergar
Que os sonhos nunca acabam?

E que amar não é pecar na traição.
Estrelas cintilam em nossa janela,
Brilham para mim e para você.
Só quero no amanha acordar,
E ser feliz...


















9

Sonetos Poéticos


Sou feito de só noite cantada.
E devaneios de 14 versos lapidados!
Sombra romântica erudita,
Poeta dos dois quartetos métricos.

O ultimo sopro escondido,
Em dois tercetos sonoros.
Musicais tesouros soturnos!
Sepulcro íntimo e primaveril...

Mistura branda de solidão e vinho!
Sorrateiro sorriso polar,
Pela poética de amar...

Sou feito da perfeição pairada,
No poente da estrada abençoada.
Número místico. Nupcial – vicio!


Os caminhos até encontrar a amada...


Caminhei sobre um céu com imaginação,
E me tornei um sonhador.
Das noites imaculadas.
Dos invernos solitários.

Mas sei que peregrinando na verdade.
Os segredos me revelarão
As estações em que seguir...
Somente encontrarei a felicidade quando encontrar minha apaixonada lua, minha princesa adorada.
Minha mulher amada.

























12

Realidade


Acordei de um pesadelo,
E vi a realidade de tudo.
Uma terra podre e sem vida.
Um lugar frio e desumano.

Alguém caiu no chão,
E ninguém o levantou.
Alguém saiu correndo,
E roubou um pedaço de pão
Por medo da morte...
E foi preso como se fosse um monstro.
A justiça na terra não existe para o povo.
O rico quase sempre é o vitorioso!

Essa é a realidade maligna, política antiga.
Um mundo de vagarosa mudança,
E com pouca esperança de igualdade.



















13

O carnaval de sempre


Os quadros na parede me observam,
Numa melodia calada.
Falo baixo para que ninguém me encontre.
Hoje não quero carnaval,
Hoje não quero política canibal.

Nos muros têm vidros,
E cercas elétricas.
Para que os bandidos
E os reis mundiais não entrem.

Hoje o que me aquece é o amor.
Sempre em frente,

As pedras na areia.
Caminho rumo à lua.
A juventude chora,
E a educação pede esmolas.

O mundo gira,
Na engrenagem,
Do motor cego!

Uma pobre criança inocente morreu assassinada.
Mil e quinhentos malditos bandidos nascerão,
No carnaval de sempre...










14

Inverno sem Ela


A casa esfriou,
O café mornou,
E a lua ingênua, apagou.

Cobertores amassados,
Cama quente, resfriada.
E o frio sorumbático parado.
Esperando o brio do sol.

As formigas estão aquecidas em seus lares,
Os amores em seus luares,
E eu aqui, sem os teus amares,
Ouvindo o silencio dos sonhares meus...

No inverno sem você.
A casa esfriou,
O café mornou,
E a lua ingênua, apagou!


















15

Amores perdidos e desconhecidos


Quantos olhares eu já desprezei,
Quantos beijos eu nunca lhe dei?
Quantas, quantas vezes eu camuflei
O meu sorriso, precisando de um abrigo.

Em pedaços fiquei,
E não chamei ninguém para me juntar!
Hoje ando nas ruas pensando
Nos meus antigos planos e sonhos...

Continuo somente pensativo.
Vivendo a procura da amada eterna.
Lembro de cada olhar,
De cada paixão em meio ao luar.

E hoje peço mil beijos,
Em silencio de meu pensar.
Beijos da mulher mais linda,
Que um dia irei encontrar.

Autor: Charles Magalhães Dedeco















16

Do que somos feitos?
(2002)

Sou o dia Noturno,
Sou marte e Saturno.
Sou lágrimas e alegrias,
Sou páginas de poesias.

Moro no sol, vivo na lua.
Sou eu, sou você,
Somos dois,
Em um só Ser.

Vivo solitário,
Sinto a Multidão
Acalentar-me na solidão!
Caminho nas incertezas e
Paro na pureza do Amor.
Sou o poeta!
Sou o cantor!
Sou o Bem e não Sou.


















17


Ela caminha


Ela num dia ensolarado.
Ela é a donzela do jardim encantado.
Sempre a vejo passar em minha rua,
Toda dourada e pura.

Eu queria ao menos falar com ela.
Ver seus olhos celestes
Ou talvez pedir para sentir seus lábios
 doces e vermelhos.

Todos os dias ela dança em seu jardim.
Com o vento que carrega a vida e a paixão.


Autor: Charles Magalhães Dedeco





















18

A mão de Deus


Existiu alguém que foi pregado numa cruz.
Um iluminado, alguém que se libertou.
Desse mundo de plástico e ouro!

Seu nome é:
O cristo cordeiro,
Salvador de almas.
O ressuscitado,
A alma pássaro,
O espírito altruísta!

Existe alguém que vivo esta.
Que está vindo...
Do raio celeste,
Das mãos misteriosas de Deus.


Autor: Charles Magalhães Dedeco


















19

Ela é meu amor


Continuo acordado.
Não tenho sono,
Mesmo embriagado de sonhos.

Escrevo o meu viver, quase sem despertar.
Bem longe de uma sala vazia,
Em meu quarto, o violão e os livros são meus amigos.

Longe do barulho das ruas,
A noite é o meu silencio tímido.
Continuo desperto, os carros e nuvens correm.

Palavras que me importam,
Poesia que sempre volta.
Musicas noturnas novas.

Hoje vou dormir, longe de tua voz,
Em busca de renovar a nossa paz.
Mas amada, pra sempre vou te amar.







20 
                                    



Rua dos poetas


As casas daqui são simples,
Feitas de luzes.
Modeladas com amor.

Tem janelas que cintilam verdades,
Tem portas únicas,
Que levam para o caminho da bondade.

Cada um tem o seu caderno de poesias,
Feitas e escritas na luz do grande dia.
Quem aqui passa, não quer mais sair.

Quem aqui fica se torna de Deus, aprendiz.
Essa é a rua dos poetas,
Onde não existe noite.

Onde as alegrias se fazem,
Com as poesias do viver.

Na rua dos poetas,
Há esperança do sonhador.

Aqui ninguém esta sozinho,
Ninguém esta perdido,
Longe do amor.










21

Os lustres


Por todos os cantos da cidade,
Vejo as luzes decorando casas,
E iluminando a estrada.

Cuidado com as pedras,
A neblina escura da noite,
Poderá lhe cegar.

Encontre as luzes,
Sobre matas verdejantes,
E sobre as janelas estreladas do universo.

Por todos os cantos da cidade,
Vejo luzes decorando casas do inverno.
Por todos os cantos da cidade.






















22

Enquanto escrevo


Enquanto o mundo desaba,
As pessoas fingem estar vivendo,
Num mundo justo e limpo.

Enquanto a vida morre,
Nasce a morte de crianças inocentes.
E mais vida para os bandidos-serpentes!

Mais um caixão foi esculpido.
Em madeira nobre, pobre sentido!
Enquanto eu estou aqui escrevendo,
No noticiário das sete horas,
Esta tudo em lamas.

-Alguém matou por dinheiro,
Não existiu honra,
Não existiu vergonha,
Nem nada, nem nada!

Roubaram nossa liberdade.
Executaram nossa esperança,
E agora eles querem que reine a maldade.

Só quem pode com eles é a justiça.
Só quem pode com eles é a maior verdade.
Que só a lei, será capaz se acender,
A luz da nossa cidade.









23

A lembrança


Já fazia sete anos que eu não via ela.
Os dias foram passando e passando.
Eu continuava sozinho, e sem destino.

Andando nas ruas,
Via as calçadas esburacadas,
E casas abandonadas vazias.

Tantas foram as noites e os dias,
Que me perdia no tempo,
Parado e amargo.

Certo dia, passeando no velho bosque,
Dos jardins da esperança.
Enxerguei alguém ao longe.

Num sereno cego, um vulto...
Pensei que fosse minha amada,
No entanto, era apenas uma lembrança que voltou.

Parecia uma prosa,
Parecia uma rosa,
Mas era apenas,
Era apenas, apenas uma saudade,
Que alimenta a alma em solidão.











24

A canção noturna


A cigarra canta,
E não quer parar.
Seu canto em pranto,
Não quer acabar...

A menina cigarra canta,
E não cessa todos os minutos.
Para ela não é nada, é tudo!
Quer ir além-vida, além-mundo...

Hoje ela vai passar mais uma noite cantando.
Soprando as angustias, nos vales noturnos.
A cigarra canta, e não quer parar.
Seu canto em pranto, não quer acabar!

Deixando sempre a ultima música,
Gravada no coração de quem ama.
Na canção noturna,
Numa canção noturna...

















25

Inconsciente futuro


O mundo não para de girar,
Numa ilusão nublada,
Que não quer acordar!

Os dias correm e correm,
E nós parados num tempo esquecido.

Sei que estou vivo,
Sinto o sol em meu rosto,
Pedindo mudança...

Vejo a paisagem de um povo sofrido,
Em meio à dor e lixo!

Miragens desbotadas,
Destruições em massa.
Que estrada eu pego?

Se já não tem chão de oxigênio!
Sinto o pranto dos anjos, e tristes arcanjos.

Sinto que para chegarmos até o futuro,
Haverá muitos danos e enganos!
No inconsciente futuro...












26

Os sentidos da vida


Corações são rochas?
Diamantes são vidas?
Onde deixaram aquele amor esquecido!

O passado não tem mais futuro.
Os sentidos são toscos!

O viver hoje é um aprender obscuro,
Que nada é mais valioso que o modismo?
Viver é um calar, um fechar os olhos da razão?

Tudo o que eu mais queria era viver,
E ser na poesia um espelho!

Entrar na festa de uma verdade sem vendas.
Onde a perola é esculpida com a nobreza do amor.

Os meus sentidos são do coração de Deus.
Tudo o que eu sou e faço, devo ao céu!
















27

Onde esta minha amada?

                
Meu amor, por onde andas o teu coração?
É teu o meu sorriso, de apaixonado.
Meu amor em que labirinto,
Esconde tua solidão?

Em que lugar esta sua emoção?
Fui vencido por ti.
Não vivo sem ouvir sua voz.
Trancou-me em teu peito, paixão.

Onde esta a chave do segredo,
De sua alma e do teu amar.
Fui vencido, fui vencido!
Por sua beleza e seu jeito de extasiar...
                
Meu amor, por onde andas o teu coração?
É teu o meu sorriso, de apaixonado.
Meu amor em que labirinto,
Esconde tua solidão?

Autor: Charles Magalhães Dedeco














                                                                        
28

Nosso amor


A lâmpada de minha casa queimou.
Nas esquinas a alegria do sol desbotou.
A esperança nublada, quebrada se tornou.
Ao perdê-la por uma ilusão cega.

Teus olhos gigantescos e brilhantes,
Não vi mais, nunca mais vi tua boca.
Perto de ti, sem jeito eu ficava,
Numa loucura tímida, eu ti amava.

Em noites de respostas e plenitudes.
Lâmpadas e janelas,
Beijos de novela real.

Eu a amava em baixo das escadas do céu.
De uma rua chamada luar.
Amava ela numa rua chamada sol e mar.




















29

A partida


No momento em que você partiu,
O sino do amor não tocou.
O céu ficou denso,
E a nuvem melancólica voltou.

Até tentei voar,
Meus pés não saíram do lugar.
Vou ficar aqui até a tempestade passar.
Encontrar alguma maneira de lhe encontrar.

Tua partida foi o começo de minha dor,
Vou onde você for, vou onde você for...
Meus olhos calados,
Busca o teu semblante distante, lua adorada!

No momento em que você partiu,
O sino do amor não tocou.
O céu ficou denso,
E a nuvem melancólica voltou.

















30

A noite de verão


Nada é tão tranqüila como a noite,
De suspiros no luar abandonado.
Ficar acordado fingido,
Que não existe o tempo nem o fim.

A luz acordou,
O dia voltou,
Não me acorde,
Eu já vou!

Nada é mais tranqüilo,
Que ficar com meu amor.
Beijos e sonetos,
Na noite de verão.

Vejo o teu coração,
Na estrela azul do amanhã.

E abro a janela do sol adormecido.
Assim vivo pela mulher-praia.
Assim sigo a poetiza amada...
Na trilha que me leva até a musa de saia!














31

Novo sol presente


Vamos brincar de ser criança,
Vamos começar uma nova esperança.
Os dias ainda são os mesmos,
Só mudou a direção do vento.

Não consigo contar o tempo,
Não consigo voltar o tempo.
Então vamos viver o agora,
E deixar o sol bater em nossa porta.

Onde existe felicidade no mundo.
Quem faz do nada, o seu tudo.
Vamos brincar de ser criança.
E inventar um novo mundo.

Vamos ser a construção,
Ser o pintor e toda nação...
As noites ainda têm estrelas.
As manhãs ainda têm luz, bem perto da cruz!

Autor: Charles Magalhães Dedeco
                                                                              














32

Alto-retrato


Homem poeta,
Pássaro da nevoa!
Simbolista moderno,
Pensamento lírico, solitário!

Semblante gravado, olhos de verdades.
Mistério revelado, alto-retrato!
Templo silencioso,
Religião do amor!

Alto retrato!
Do poeta de Deus.
Poema no olhar, navegante, poesia!
A navegar na sabedoria...






















33

Abraçando o mundo


Amar, somente amar!
Abraçar com o lume da compaixão.
Do perdão nobremente solitário...
Amar, unicamente amar!

Abraçando o mundo!
Afeição sem escudos.
Imaculado espírito,
Do amor vivido!

Amar a criação perfeita de Deus.
Amar virtuosamente, respeitando a humanidade!
Abraçando o mundo, abraçando o mundo...


Amar, somente amar!
Abraçar com o lume da compaixão.
Do perdão nobremente solitário...


















34

Vivendo


Quanto mais eu vivo,
Mais sinto no coração, o vicio do amor.
Ainda existem grilhões,
Que se entrelaçam no espírito!

Vou até a sua estação!
Para formar uma constelação,
E uma tempestade de paixão.

Porque o mal devora minha cidade?
Porque tanta gente tem medo da bondade?
Quanto mais eu vivo,
Mais procuro uma razão...

Um sim, um não, um chão, ou um perdão!
Ainda existem grilhões,
Que entrelaçam os nossos corações!



















35

Os sobreviventes


Corações machucados,
Homens dos trapos,
Na luta de sempre!
Almas sem emprego,
Trabalhadores do desespero...

Mundo moderno luta por respeito!
Vejo o ônibus lotado de guerreiros.
Homens que tem esperança e sonhos...
Sem dinheiro para comprar restos de dignidade.

No meio da rua esta o burguês pobre,
O humilde errante nobre!
Seus sapatos estão furados,
Suas roupas antigas e amassadas.
E seu coração límpido e guerreiro.

Sou sobrevivente!
Meu nome é guerreiro.
E meu sobrenome é brasileiro!
















36

A linda Moça que passa




Ela é linda e gentil
E não tem um coração.
O beijo dela tem sabor de morango.
Seus lábios pedem amor e mais calor.

Seu vestido voa com a tempestade forte.
Ela é doce e inteligente.
Ela sabe que é perfeita.
Ela passa sempre na frente da minha rua.

Ah, tudo que eu queria era um beijo dela agora.


Autor: Charles Magalhães Dedeco




















37

Quem é essa mulher que rebola?


Amar sem pecar!
Como viver sem amar?
Teus lábios são venenos,
Lago dos desejos provados!

Afogados beijos desconhecidos,
Olhos negros, verdes, amarelos, azuis corrompidos!
Quem és você mulher decorada de maquiagem,
Pudor em mascara, camuflagem!

Amar sem pecar!
Como viver sem amar?
Teus lábios são venenos,
Lago dos desejos provados!

Afogados beijos desconhecidos,
Olhos negros, verdes, amarelos, azuis corrompidos!
Quem és você mulher decorada de maquiagem,
Pudor em mascara, camuflagem!

















38

A liberdade das flores


Transformando luz em poesia,
No sonho do beijo,
Solidão sem lamentos!

No firmamento do conforto,
Na felicidade do amor.
Renovar as flores da liberdade em manto sagrado!

Em magia perfumada!
Reavivar o bom dia, e o perfeito silêncio...
Da natureza musical, sideral, vida bucólica!

Transformando luz em poesia,
No sonho do beijo,
Solidão sem lamentos!





















39

Ela é meu suspiro existente


Talvez esteja sonhando,
Talvez esteja navegando num barco no céu...
Sinto algo por ela que não me deixa explicar,
Algo que não me deixa respirar.
Sua beleza é maior que a lua, e todo mar!

Ao passar por ela,
Meu coração disparou,
Começou a correr o relógio eterno do amor.

Pensei que fosse uma miragem do paraíso.
A realidade abriu passagem para o nosso amor.
Numa tempestade de paixão, numa tarde de verão,
Eu suspirei e ela também.


Talvez esteja sonhando,
Talvez esteja navegando num barco no céu...
Sinto algo por ela que não me deixa explicar,
Algo que não me deixa respirar.
Sua beleza é maior que a lua, e todo mar!















40

Escuridão celeste


As catedrais imóveis e apagadas,
Esqueceram de bater o sino das quase sete.
Escuridão celeste, o tempo segue sempre nublado.

Catedrais urbanas, não mais emanam o sol.
O que fizeram com os faróis?
Quem apagou as luzes e não acendeu o coração?

Na igreja hoje, não ecoou nenhuma voz.
Fecharam os portões, porque não abriram as janelas!
Há tantas crianças nas ruas das ilusões.

Escuridão celeste.
O tempo segue nublado.
O tempo veste armadura...

Escuridão celeste.
As estrelas flutuam,
Com a prece do menino que vive na lua!


Autor: Charles Magalhães Dedeco














41

Teu beijo


Teu beijo é um desejo ardente.
Teu Beijo tem gosto de morango.
Teu Beijo de açúcar tem gosto de pimenta.
Suave amor picante, num ósculo apaixonante!

Teu beijo de namorada é puro e quente.
Nas ondas de desejo,
O mel doce é ardente.

Forte abraço, afável, amável e sonhado.
Beijo embriagado de inocência.
Melodia do amor, sabor molhado.

Teu jeito de mulher-menina,
Pede amor e mais amor.
Desejos românticos e risadas.

Teu beijo é um desejo ardente.
Teu Beijo tem gosto de morango.
Teu Beijo de açúcar tem gosto de pimenta.
Suave amor picante, num ósculo apaixonante!

Autor: Charles Magalhães Dedeco



42

O Eu – Poeta


Mensageiro de Deus!
Pássaro da terra.
Escultor que faz a palavra virar poesia.

Inspiração da luz divina!







                                          























43

Poeta na cidade


Fazer o que nessa cidade?
Quando o tédio desanimado queima as horas sem direção.
Aflita demora, de verão cabisbaixo!

Talvez eu ainda me encontre, ainda vivo.
Não sei bem onde?
No horizonte ou num monte sagrado?

Sou o trabalho, o compasso da vida.
A semente da terra...
Num abraço da natureza pura.

No cansaço da melodia diurna!
Eu sou o sistema claro e polido.
Um princípio que é dos poetas.


Autor: Charles Magalhães Dedeco


















44

Escrevendo o Mundo


Percorro as nuvens passageiras,
Em meio à chuva,
Descendo a ladeira...

Nas ruas molhadas,
Os carros e as pessoas parecem almas penadas.
Não sabem para onde ir.

-“Sempre pode piorar”,
Assim falou um demônio querendo afundar a esperança!
Os homens esperam sempre mais desgraça,
De terremotos a enchente, toneladas.

O povo esta carente de justiça eu sei.
De amor, e renovação no sistema paralítico!
Então percorro nas notícias, mil canais, mil vidas perdidas.

A igreja esta vermelha.
O universo celeste continua sangrando,
Por seus filhos desalmados!
Homens que preferem ganância de plástico,
Ao invés da esperança brilhante!

As ruas estão cobertas de bandidos.
Exploradores do trabalho infantil!
Maldito dinheiro roubado,
Vida sem sentido,
Devassidão do trafico!

Tento dormir e sonhar a noite, com um mundo melhor.
Então acordo num pesadelo de uma terra sem mudança...

Autor: Charles Magalhães Dedeco



45

Os reis jogam com a vida


Não há estrada,
Nem caminho seguro para ir.
Não há começo nem fim...
Não há capa ou autor!

O final diz ser feliz.
Vou ficar hoje em casa,
Com meu violão e meus livros.
Com a televisão desligada.
Nela não há nada que eu já não saiba.

Não há estrada,
Nem caminho seguro para ir.
Vou apenas seguir, e seguir...
Não importa o que o noticiário diz.

Não há começo nem fim,
Não há capa ou autor,
O final se diz ser feliz!
O filme é o mesmo,
Só o século mudou.

Não há nem um segredo,
A vida já se cansou de ser usada e descartada fora!
As cartas são falsas!
O futuro esta sendo marcado, comercializado.










46

Mundo de cabeça para baixo


Uma criança chora e pede esmola,
A outra joga bola e tem escola.
Um pássaro canta o hino, liberdade da paz,
Outro destrói lares e constrói cativeiros.

Um riacho tem água e vertentes.
Outro se perde, numa ausente vida!
Em tempos de secas,
Milhares de famílias morrem de fome, sem plantações...

Com a garganta deserta.
Em tempos de seca,
Alguns reis esbanjam água em castelos de ouro.
E a fabrica sorri, o lixo da poluição apenas sorri.

Navega o lucro poluente.
Vosso nome é desmatamento!
Ecoa um choro infantil,
Sobre um sol quente.
No verde das matas,
Que esta virando pó...

Uma voz grita:
Amor pela vida,
Mil outras se calam,
Com medo, do homem engravatado.










47

A natureza


O que estamos fazendo com ela?
Qual é o futuro que nos reserva?
Natureza nos perdoe,
Pela falta de atenção.

Não voe para longe do meu coração.
Águas tranqüilas,
Flores tão vivas,
Não morra,
Não sofras tanto assim, tu me abrigas...
Perdoe-nos por todos estes séculos,
E mais séculos de poluição!

Rios poluídos,
Fabricas e lixos!
Nosso vicio por progresso,
Esta nos levando para o precipício!

Mundo sem alma,
Homens sem calma,
Buscando sua própria destruição!
O chão está seco e deserto,
Alagado pelo nosso veneno ocultado!

Natureza encantada, eu quero-te livre!
Perdoe-nos por toda poluição sofrida.
Nossa mãe, nossa vida.
Perdoe-nos natureza, por nossa razão poluída!








48

Um mundo, um viver!


Tem poeira na poesia,
Tem estrelas de três-marias.
Não há só amor no coração,
Há uma dor, acompanhada por plantações.

Tem formigas construindo casas, prédios e hotéis.
Até uma fabrica de coloridas folhas de papeis.
Não há só união em meio delas,
Há uma vontade de vencer.

Que nem a chuva pode destruir e desfazer!
Tem poeira na poesia,
Tem estrelas de três-marias.
Tem ate flores mortas,
No céu da noite e do dia.

Tem poeira na poesia,
Tem estrelas de três-marias.
Não há só amor no coração,
Há uma dor, acompanhada por plantações.
















49

Mundo infeliz da guerra


A terra esta rubra.
Está ferido o perdedor.
O que não luta.

Guerras sem leis,
Leva o que você já não tem.

Quero andar nas ruas da verdade.
E sumir daqui...
Ver um dia a natureza sorrir.

O amor esta morrendo...
Terra rubra, lago sem fim vermelho!

O que você faz para ser feliz nesse pesadelo?
Se tudo o que existe e vejo, é uma realidade cruel!
E um mundo triste quase o ano inteiro, de pedras á tiroteios!



















50

Corações de pedras


Mais um menino morreu.
A justiça não apareceu para protegê-lo.
E esse túnel que não quer acender?

Não existe vencedor na guerra,
Não existe,
Não existe amor!

Mais uma vida tirada,
Levada pela maldade do egoísta,
Que tem ganância.

As crianças não mais brincam nas calçadas.
Pois tem balas que tiram vidas...
Quem não respeita o próximo é uma pedra torta!

Não existe vencedor na guerra,
Na guerra, não existe.
Não existe primavera na guerra!

Mais um dia sem enxergar a luz e o azul...
Então vamos abrir o coração,
E amar toda nação!













51

Insônia


Porque não me deixas dormir?
Problemas do mundo,
Não me deixam sorrir.

Porque não descansa antes do dia surgir.
O sol quer ti sentir.
Você é minha amiga.

Nas noites mais complicadas,
Nos beijos frios da fiel madrugada.
Poemas noturnos me surgem na sua companhia.

Na noite de luz,
Vou à procura de saída,
Na luz da noite encontro à melodia.

Insônia do amor,
Aquele que ama não dorme!
Sonha acordado...

















52

Semente do mal


Prove do seu próprio veneno.
Tudo tem um preço.
Sinta o seu próprio espinho e o vago coração.

Não me dê suas pedras,
E nem suas guerras!
Sou livre, sou um pensador livre.

E só o amor me leva...

Não colhas o que é dos outros,
O teu lugar é o covil dos lobos.
A cova dos leões é o teu lar, serpente rasteira!

Prove do seu próprio veneno,
Sinta a semente que você plantou.
Depois sim, coloque a mascara.

Plante suas flores do mal longe de mim.
Em outro jardim,
No seu próprio fim!




               










53

Noite sem minha amada


È noite e no horizonte eu vejo uma luz de aço.
O inverno é cinza.
A guitarra faz tudo ficar fantastico na cidade.
A noite parece uma festa .
Sublime é a lua que aparece entre nuvens.
A noite esta quase perfeita
Mas falta minha amada e o sorriso dela.

Autor: Charles Magalhães Dedeco



























54

As cinzas


Vagando na rua que não tem lar.
Completamente distante do seu olhar.
Os tijolos nos cercam e espinhos nos ferem.
Amizade em poeira, o pra sempre acabou?

Proteja o seu bem-querer,
Grite bem alto o nome do seu amor.
O céu se abre e se vai,
As cinzas se foram com as nuvens distantes!

Nasce um novo dia.
Os tijolos nos cercam,
E espinhos nos ferem.
Mesmo assim quebro os muros.

E faço dos espinhos,
Flores e jardins claros.
A cinza vira Esperança
Quando se tem amor e mudança!

















55

Aula de matemática


Sentado em uma classe,
Toda rabiscada de grafite.
Vejo o meu tempo passar.
Os cálculos estão calados.

Os números não mudam o mundo,
A palavra sim...

Sentado em uma classe,
Toda rabiscada de grafite.
Vejo o meu tempo passar.
Os cálculos estão calados.

Os números não mudam o mundo,
A palavra sim...


  



56 
  


Recomece a viver


Estou fazendo uma canção,
Com o barulho do vento,
E um sonho com um final feliz.

Lagrimas não caem mais.
Seu olhar me disse:
Que o amor não é passageiro.

Tua tristeza que era derramada pelo chão.
Fizeram nascer flores.
As feridas do teu peito, o tempo as guardou.

Estou fazendo uma canção,
Com o barulho do vento.
E um sonho, com um final feliz.





















57

Dois lados, o bem e o mal


Quem vai subir aos céus,
E escrever no papel a verdade do mundo?
O segredo de tudo?

Quem vai acreditar que o céu também chora?
Em tempos de tempestades,
Os homens se apavoram!

Quem vai dar em nossas mãos,
A chave do coração?
Quem vai ganhar?

Só o amor vence a guerra,
E a fé vence o mal!
Quem vai perder?

Quem não quiser ver o sentido da vida.
Que faz o sol nascer.
Que faz o sol viver.

Quem vai subir aos céus,
E escrever no papel a verdade do mundo?
O segredo de tudo!

Quem vai lutar?
Quem vai estar de luto?
Quem vai saber de quase tudo?...









58

Sonhos de criança


Em algum lugar,
Um sonho me fez sorrir.
Não vi noite e nem luto.
Era tudo tão seguro!

Crianças brincavam com balões,
Em pastos verdejantes.
Um lugar sem pecado.
Em lugar sem dor!

Onde o que reinava era o amor.
Em algum lugar,
Um sonho que me fez sorrir.
Eu acordei.






















59

Planeta terra (2001)


Tenho alguns trocados no bolso.
Para comprar pães amanhecidos.
Tenho exatamente um pobre salário mínimo.
E um amontoado de sonhos!

O terremoto cai todos os dias sobre nossas cabeças.
Os homens-políticos com ganância sugam o imposto.
Tiraram à vida, a felicidade e a paz do povo.

Planeta terra, planeta terra!
Aqui em baixo a vida é assim.
Planeta terra, planeta terra!
Aqui em baixo é assim.


Tenho alguns trocados no bolso.
Pra comprar pães amanhecidos.
Tenho exatamente um salário mínimo.
E um amontoado de sonhos!

Autor: Charles Magalhães Dedeco
Poesia composta em 2001















60

Feriado chuvoso


Começou a chover.
Gotas que caem na vidraça.
Fazem-me lembrar de você.

O que farei nesse feriado.
Tudo esta alagado.
As ruas, as esquinas viraram grandes piscinas.

Feriado chuvoso,
No telhado ouso estrondos.
A casa esta fechada, o portão lacrado.

A chuva levou toda a tristeza.
Que em mim existia,
E trouxe a esperança de uma nova poesia...





















61

O coração


Não sabemos quando sentimos,
Apenas pressentimos.
Vem tomando conta do ser-alma.
De quem é virtuoso.

Estranha força maior,
De difícil tradução.
Vem e vai...
Nunca se vai, ou cai em vão!

Quem já viveu não entende.
E quem entende, ainda não viveu.
Sentimento de luz.
Da vida, que convida para amar a todos.

Não sabemos quando vem,
Apenas quando vai,
Quando machuca a magoa, ferida!

É o contrario do vazio.
É o bater mais forte do sino do amor.
É a primavera que nasce.

A vida que renasce das cinzas!
Das cinzas nasce o amor...










62

Erro do teu passado


É preciso olhar o passado para não continuar nele.
Tudo o que já foi, é o que hoje ficou.
Pra melhor ou para pior,
Tanto faz, já acabou!

A tristeza que se foi não volta mais.
Apenas o que ficou foi alegria.
Da esperança e muito mais.

Quem sou eu?
Quem és tu?
Uma criança que não vive sem família, luz.

É preciso olhar o passado,
Mesmo se ele já acabou.
Olhe o espelho do futuro,
Que nunca falhou!



















63

Somos pequenos


Fiquei o dia inteiro fazendo poesias.
Nas tardes de sol que eu mesmo acendia.
Só quero respirar a natureza, tranqüilo.
Longe desse lugar sem destino!
Que só quer trazer o fim, já esquecido.

Olhar a chuva cair,
Num chão frio.
Ouvir a batida do coração a mil.

Somos pequenos,
Perto dos detalhes mínimos da vida.
Amamos a beleza e as coisas mais fúteis.
E ignoramos o amor da alma!

O simples e o singelo abraço.
Na vida feita de honra.




















64

Em que mundo nós estamos?


A arquibancada esta cheia de torcedores fanáticos.
Um time perdeu, todos saíram correndo.
Bala perdida, um jovem morreu sem despedida.

O homem da lei chegou.
Começou o tiroteio,
E as pedras escuras.

Não sei onde estamos.
Numa multidão de insanos!

Em que mundo nós estamos?
Num mundo sem planos e bondade...
O jornalista da manhã diz que o estádio está calado,
E os corações de luto.

Morreu um jovem inocente e trinta ficaram feridos.
Pobre jovem, que foi ver o jogo para se divertir.
Menino que foi tirado à esperança de viver, de ver seu time ganhar.
Seu time perdeu para o maldito fanatismo, que não sabe amar!















65

O segundo céu


Há sim, um segundo céu.
Esse céu é puro amor.
Tem gosto de açúcar.

Seus olhos cristalinos,
Figuram no segundo céu.
Em sorriso de poesia.

Semblante muito parecido com um sol,
Entre as estrelas.
Vive como nuvem.

Veste-se de primavera,
E brilha como a lua,
Na alegria plena.

Há sim, um segundo céu...
Esse céu é divino.
É um livro de poesias traduzidas.

Na língua dos anjos.
O segundo céu existe!
E é você...













66

Um pouco de verdade


Ouvi gritos de atores políticos.
Fariseus ricos!
Religiosos incrédulos.

Vejo construções fraudadas.
Conta bancaria suja.
Das religiões sem fé.
Das superstições desertas!
Vejo larápios do pote de ouro,
Reis da velha estrada apagada.
Homens feitos de desonra!

Deus não é surdo!
Muito menos cego...

Não vi ninguém subir aos céus pela escada artificial!
A chave da verdade e da justiça não se compra.
Conquista-se com humildade e honra!
Não vi os portões celestes abrirem,
Para a gritaria hipócrita!
O dinheiro no azul divino nada vale.
Nem as almas de mascaras.

Nem as musicas e ideologias azedas!
Estas moedas de oferenda.
Estes ludibriantes da fé comprada em encomenda...

Escrevo aqui, um pouco de verdade.
Vomito tudo isso no hipócrita.
Beba um pouco de verdade.
Respire e veja a água limpa e viva.
Reflita, reflita e reflita...

Autor: Charles Magalhães Dedeco



67

A donzela de um Bar


Uma donzela num bar estava sentada.
Era inverno quando beijei seus lábios.
Ofereci vinho e meu calor. Ela aceitou.
Num crepúsculo nos conhecemos.
A rua e a lua ficaram transparentes.
Seu nome era Camila, donzela da alegria.
Morava no despertar da noite.
Nós Sorriamos nos bares da vida.
Raramente eu a encontrava.
E quando a encontrava,
Ficava mudo,
Ficava tímido,
De dizer que eu estava por ela apaixonado...
Que imaturidade, essa minha.






















68

A morte do material


No alto vejo alguém,
Que cuida de nós e que ora conosco.
“Não temos que ter medo de lutar pela paz”.

No alto vejo alguém,
Que conhece o inicio e o final.
É o Alfa e o Omega!

Que tem a descoberta nova.
O mundo novo, a vida nova,
E as boas novas da esperança...

No alto vejo alguém.
Um alguém que caminha na luz.
E que nos conduzira a vida eterna.

A vida sem injustiça.
A vida-Alma, que vive com calma.
Flutuando no amor-luz.
Seu nome é Cristo-Jesus!















69

Amada donzela, não tenha medo de amar


Não sinta medo da noite amada mulher.
Ainda que esteja escuro,
O futuro do teu coração.

No teu olhar habita a força maior do amor.
Nas paginas traçadas do velho livro de romance.
Tu ainda me escreve eu ti amo, em teu caderno...

Não sintas medo da noite.
A noite é um sono acordado de planos.
São estrelas e luares apaixonantes!

É um espaço cheio de luares flutuantes.
É um olhar repleto de sonhos e luzes gigantes.
Não sinta mais medo da noite, minha amada.

Em teu olhar habita o amor, diamante!
Deite comigo, minha namorada ardente.
Deite minha lua, essa noite é minha e tua...

















70

Será que somos robôs?


Enfim, o futuro esta pra chegar.
Um antigo filme sombrio,
Que ainda não da para enxergar.
Máquinas modernas, que querem nos aposentar.
Será que elas terão coração?
Será que elas terão alma, serão como a gente!
É lógico que não, não terão fé, nem emoção natural!

Os gananciosos vão vir ai.
Roubando nosso dinheiro, sem a gente sentir.
Fabricantes de miséria e de tecnologia-guerra!
Estamos tomados pelas propagandas ambulantes.
Futuristas, moda falante e farsante!
Onde foi parar o nosso coração?
Quem desbotou o nosso sorriso?

Será que somos maquinas,
Ou homens sem coração?
E quem vai salvar e contemplar a lua, e as estrelas?
E a natureza e o singelo do natural,
Quem vai salvar?
Quem?














71

A vida...


As nuvens caminham,
E nos corremos.
O tempo passa,
E nos envelhecemos...

Muitos pobres caem,
Poucos se levantam.
O pássaro voa livre.
A justiça não grita mais,
E o presente é a preguiça de mudar!

Queremos ver outro mundo,
Mas poluímos o mesmo mundo.




72 




Olhando a vida passar


Com olhos cansados, e com a alegria já enferrujada.
Eu continuo os meus pacatos dias.
Registrando no arquivo das lembranças.
O que me feriu, e o que me fez sorrir.

Coisas tão simples são o que me faz feliz.
Olhar o sol da manha da esperança.
Ver o entardecer chegar com o nosso luar.

Arquivei o teu beijo,
Nos meus maiores desejos.
Registrei o teu olhar,
No meu coração que não quer se calar.

Meu coração grita bem alto:
Quero amor, quero amar.
Grita bem alto,
Vendo a vida passar...


















73

A semente da beleza


Terra impecável.
Estilo métrico e perfeito.
Instinto do espelho.
Poetiza primaveril.

Navegantes da solidão,
Vão ao encontro da beleza da paixão!
Paixão do coração.
Semente da natureza,
Estrela farta, mulher-violão,

























74

A Eva e adão, e o pecado


Eva foi envenenada pelo mal,
E virou uma serpente.
Adão virou um dragão!
Seus olhos tornaram-se peçonhentos.

Invés de mãos, garras da traição.
E na maça escondiam-se almas perdidas.
A árvore seca ficou!
Sem frutos puros, o mal a tornou...

Eva foi banida, junto levou adão.
E o paraíso ficou sem vida,
Porque o pecado enfeitiçou a paixão.























75

Melodia noturna


Ouso os grilos gritarem na cidade,
quase silenciada.
A música da natureza começou a tocar,
Melodias noturnas em meio ao luar.

Todos dormem, e não param de sonhar.
São tantas as estrelas que brilham,
Que eu me perco no contar...

Ouso o amanhã despertar,
Mas a melodia noturna não para de cantar.
O sol e a lua, então se juntam,
E começam a namorar.

Num êxtase de amor mais bonito,
Que nunca, nunca vai apagar!
Na melodia noturna, navega meu pensar.



















76

Algumas noites do poeta


Em tantas noites de luares perdidos,
Esperava meu amor voltar...
Para ficar olhando, olhos nos olhos.
Desejo em sonhos,
Solidão em planos!

Em tantas noites frias,
A tristeza me cobria,
De amor ausente.

Ao cair do sol.
Minha alegria se escondia,
Esperando minha amada voltar

Em tantas noites ficava sozinho,
Mas nunca estive sozinho!
A solidão era minha inspiração.

A vida era minha ilusão.
Num caminhar sem destino.
Num respirar embriagado,
De infinitos, ela é meu infinito...















77

Quem és tu?


Quem és tu?
Simples radiante,
Da rua paixão.

Quem és tu?
Que não gosta de se mostrar.
Na calçada que vive a cantar.

Jardim de rosas, flauta doce do céu.
Inspiração dos olhos da alma.
Coração de mel...

Tu que sonhas sozinha,
Tu és o mistério celeste.
Da ventura, da paixão.

Quem és tu?
Mulher calada?
Ela não diz nada, apenas sonha e sorri.

















78

Recapitulando a vida


Ouvir a música do passado cantar,
Para o amor que nascera.
Arvores balançam,
As folhas dançam...

Nosso vento da vida, triste sopra.
O vento do ódio leva o amor embora.
A luz da fé, ainda fica de pé.
Em meio à imensidão do coração, que não tem mascaras!

Poeta profundo, que não tem medo, nem segredo!
Exagerado poeta, revelado na verdade pura.
Em palavras de amor, em gritos de sabor do orgulho.
Transparente espelho sonhador, da paz e do amor!






















79

Sol envenenado


Na calçada há pedras por todos os lados.
O tempo envelhece!

Os carros passam sobre pontes.
As pessoas correm da chuva.
Fogem do inverno para perto do verão!

Alguns dizem que a vida é uma palhaçada,
E outros, estão fora do ar, dos sentidos!

Mas, a musica vem surgindo triste, e poluída...
O sol esta sendo apagado, a cada dia que passa, mais e mais.

Não destrua o sorriso da natureza!
A beleza que a pureza do sol te traz.
Mas, fuja do sol envenenado!




















80

Triste Amazônia


Querem fazer ruas nas matas verdes.
Querem deixar nuas as árvores contentes.
Vejo pouca vida,
E muita morte na floresta do Mundo

Vejo um lindo dia virar luto.
Onde vão morar os pássaros?
Onde estão os sábios e os heróis?
Os rios foram envenenados!

E ainda querem construir estradas de ferro na Amazônia!
Uma cidade sem lagoa.
Querem fazer prédios, pedras e fogo.
Deixar tudo, tudo deserto! Sem arvores, aves, e só pessoas...
                                                                            
Querem fazer ruas nas matas verdes.
Querem deixar nuas as arvores contentes.
Vejo pouca vida,
E muita morte na floresta do Mundo.

Autor: Charles Magalhães Dedeco















81

 Quem anda sozinho


É uma estrela que perdeu o brilho,
Uma lua de sorriso triste.
Um errante parado.
Louco, completamente calado!

Segue numa estrada vazia,
Em cidades com pouca alegria.

Gotas latentes de sangue inocente escorrem pelas ruas.
O homem que anda sozinho perdeu já tudo, ou quase tudo.
Só não se perdeu...

Ele anda por sobre as águas.
Sobrevive no meio da cegueira do mundo.
Mas, ele anda somente com as flores nas mãos,
E justiça no coração. Seu nome é povo.


                                                                             

















82

Nossa gente excluída


O povo é ignorado.
O povo só quer um pouco de espaço.
A maldade condena a vida,
A guerra é fonte inimiga.

Terra de falsos samaritanos,
Que governam o mundo, segundo seus planos.
O povo é ignorado.
O povo só quer um pouco de espaço.

Justiça social!
Somos programados para morrer no esgoto.
Gosto azedo de injustiça!
O povo é ignorado...

O povo só quer um pouco de espaço!
Um lar da paz, e trabalho honesto!
Um pouco mais de sol amarelo...
Ao povo excluído mais dignidade, e menos lixo.













83

O coração da alma


O amor quer amar,
E você não me deixa respirar.
Pare de falar, e pare de reclamar!
Apenas me beije, meu coração, meu ar.

O amor às vezes não me deixa enxergar.
A verdade que existe na frente
Das cortinas nubladas da paixão.

E você alma, não me deixa respirar.
Pare de falar, e de reclamar!
O coração da alma quer sonhar.
Apenas me beije até um novo dia voltar...


















84

Perguntando para mim mesmo


Quem sou eu?
Senão um sonhador realista.
Senão, minhas próprias idéias, criativas.
Quem sou eu?
Senão, o espelho do meu coração em poesia.

Quem eu sou?
Senão, um lírico poeta.
Romântico profeta!
Que não prevê nada além do que vê e senti.

Quem sou eu?
Quem eu sou?
Um homem em busca da água viva do amor...
Em busca da amada, mulher abençoada.

Que vive na esperança da luz.
Sou minha resposta, sou poeta da música.
Honra é minha razão!
Poesias são alegrias, justiça e paixão.







 







85

Nosso coração


Na penumbra da noite,
Meu coração deserto fica.
Vejo pedras machucadas no chão.

Uma tempestade e uma saudade,
Tentei leva-la ate as nuvens.
O céu estava fechado para o azul.

Tive medo de cair,
E não saber voar.
Corações só querem amar.
E não querem saber de mais nada.

Além do luar de palavras, e dos olhares profundos.
Poemas pequenos, e historias sem fim!
Nossos corações não têm segredos.

Servido tudo em pratos limpos.
Na claridade da noite.
Meu coração fica cheio de poemas.
Em minhas mãos, flores para minha amada.












86

Gisela é perfeita


Ela é uma moça linda e inteligente.
Uma hora ela é cheia de graça,
Outra hora bela e elegante.
Gisela é assim.
Toda perfeita.
Cheia de vida e beleza.
Ela tem curva e pureza.






















87

Em noites sonhadoras


Olhei para a abóbada celeste,
E fiquei esperando até o véu aparecer.
Estava seguro na atmosfera de estrela.

Avistava o beijo da flor-mulher vindo,
Junto com a abelha e seu mel.
No horizonte via a pescadora,
Pescar o amor com o coração.

Via também uma mulher levar todo o mal embora.
Com sua melodia de luz auspiciosa.
Em noites sonhadoras, eu a avistava.
Dias e noites frias, acolhedoras!

Via o frenesi da ilusão branda.
Tocar nossa boca...
Um beijo que ela guarda em seus lábios.
Lábios doces e quentes.

















88

Cominho do tempo


O tempo flutua como um vento.
Sem esperar ninguém passar primeiro que ele.
Esta no horizonte dos olhos,
Onde habita o futuro.

Ele já viu as florestas se transformarem,
Em um só verde.
Em um só azul do céu.
Viu o brilho de um sol nascer.

Viu as florestas morrerem nas queimadas
e poluições desumanas.
Viu o canto dos pássaros se expandirem,
Longe de gaiolas solitárias, soltos a voar.
Ele já viu a caída dos reis.

A conquista da guerra cega,
E chorou junto com as flores.
Viu um mundo cheio de alegria,
Viu a criança brincar de sonhar.

Viu essa criança, saltar a pedra que estava no caminho.
Ele viu o único homem digno e santo,
Salvar a humanidade.
Ele e a humanidade caminhavam juntos...

Num caminho que habitava luz.
No sopro da vida.
Que nem o tempo foi capaz de apagar essa luz.
A morte que virou esperança!







89

Mundo esquecido


Ainda ouso o sussurrar da noite!
Os grilos calados e os telhados
Quebrando e rachando.

Uma casa cheia de sonhos imagináveis.
E um chão feito de nuvens,
Em paredes transparentes.

Ainda vejo o amanhã empoeirado,
Em meus olhos limpos.
E todos estes sonhos!

E todos estes planos!
O que serão deles?
O que nós seremos?

Se continuarmos dormindo num pesadelo real,
Um mundo guardado numa gaveta qualquer...
Vamos levantar a bandeira da igualdade social!















90

A vida do poeta


O poeta despertou de um sono profundo.
“Ele escreve absurdo”,
Diz o hipócrita mudo!

O Poeta tem a alma que chora!
Tristeza branda que devora o papel virgem.
Das palavras que sangram lagrimas.

Em folhas brancas,
Nada brandas,
 Da paz celestial.

O poeta da caneta que falha,
Do lápis que quebra,
Das aspirações que sonham,
Na esperança de melhorar o mundo.

No mundo que quer e não quer ser mudado...
Mas, os poetas escrevem com expectativa!
Com a fé essa, que Deus deu com sabedoria.

Autor: Charles Magalhães Dedeco












91

Ela e sua volta nua


Não encontrei ninguém a me esperar,
Numa porta avistei alguém chegar.
Cada vez mais perto do amanhecer.

Tão linda assim.
Linda para mim.
Na porta dos olhos,
Eu me perdi.

Você chegou agora,
Com a chave do coração.
Sofrendo de verdade,
Vivendo com coragem.

De enfrentar a solidão,
Com tamanha paixão.

Mas o amor não se perdeu no vento e nem no tempo.
Sei que o amanhã contigo vai novamente voltar.
Guardei teu sorriso de menina,
Em meu coração cativo por ti.

Numa porta avistei você, bela lua.
Era a mais pura menina,
Que me beijava infinitamente pura.












92
Amar


Amar é matar a sede do coração.
Amar é isso
Amar é aquilo
O que venha ser amar?
Senão puramente amar
Amar o que está submerso na vontade.
Amar é de graça.
Mas o amor se oculta as vezes.
Não demonstra sentimento.
Sabe-se que é amor pelo sorriso
 ou pelo simples jeito de falar.
O amor é assim
Não se explica
Apenas se senti.

Autor: Charles Magalhães Dedeco





















93

Minha visão sobre o mundo futuro


Sobre a rua, a sombra da cidade ecoa.
Numa terrível voz sinistra.
Pluraliza o terror e a mentira.
No orgulho do progresso complexo.
Talvez o amor seja a solução, talvez a razão!
Ou seria melhor a justiça em ação?

Nosso tempo moderno é de pura reflexão!
O remédio mora na solidariedade e no sonho.
Mas a razão grita: É ilusão! É ilusão! É ilusão.
Já o coração que é o bálsamo da vida, quer poesia.
Sobre esse sonho oculto se esconde a essência.
O eclipse, a alegria, e o enigma da fantasia.

 Ascende a montanha quem tem fé e democracia!
Mesmo assim, a sociedade não quer amizade.
Só quer comprar, ter tudo e mais um pouco.
E o mistério de Deus fica adormecido e morno.
Enquanto isso, os sombrios déspotas mentem.
Todos os dias os monstros querem mais poder!

Sobre a rua obscura, embriagada multidão crua!
Marcha o futuro com lábia, talento e incremento.
Parece que o perigo passou, mas prefiro prudência!
Ciência da sabedoria, desconfiar com um escudo.
Devemos vigiar os poderosos, desconfiar dos falsos! Reflita, acredite, e siga com Jesus Cristo.

Autor: Charles Magalhães Dedeco







94

O Amor...


O amor é um carnaval!
Algo
Astral
Estrela
Real
Poesia magistral!
                                                       Sorriso
Total
Sal
 Açúcar
 E cristal.
Desejo Colossal!
 Carinhoso
Sonho
Simples
E natural.
Idolatria universal!

Autor: Charles Magalhães Dedeco









95

Ser poeta


Ser poeta é ser uma pedra ou um iluminado.
Ser poeta é ser o sol, a lua e o amor.
É ser o poema e a música.
Ser poeta é ser pássaro ou águia livre.
É ser um livre pensador.

Sou poeta feito de fulgor e imaginação.
Sou poeta que sente a paixão candente.
Pela mulher do vestido transparente.
Sou homem poeta, e canto o presente.

Ser poeta é ser realístico.
É ter o vicio de sempre amar.
É ser puro, cativo e vivo.
É viver no mundo, é saber sonhar.
Ser poeta é navegar no verso complexo.











96

Amo a mulher e a poesia...


A poesia
Quando
 ela
nascia
 longe.
Perdia-se
 Sobre
 o horizonte
 do dia.

No amanhecer
 ela morria.
Só nascia
Quando
Encontrava
 a amada.
E a poesia em mim
renascia
da longa estrada.

Sobre mil sois,
o amor vivi.
Dia e noite
 Ela segue
Ao monte.
Basta-me beijar uma mulher bela.
Para que minha poesia volte
A renascer da felicidade eterna.

Autor: Charles Magalhães Dedeco



  
97

Quarto da politicalha


Cama revirada
Cobertor rasgado
Casa empoeirada
Quebrada!

No quarto da bagunça
Não tem lei
E nem ordem
É a desordem do bicho preguiça

Assim o país não vai para frente!
O planalto e o senado dormem
E também o senhor ausente.

Nos quartos revistas e livros pelo chão sujo.
Cheio de vampiros, pulgas e ratos.
Todos dormem juntos em meio a dólares e luxo.
Na casa dos lixos camuflados.













98


Aproveite o dia


Não tenhas medo de viver e amar.
A paixão é fonte de felicidade.
Atravesse a ponte
E siga atrás dos sonhos.
Carpe diem, diz a vida.















99
Mundo


Não vejo
Tão pouco percebo
O ódio e a solidão

Muitas vezes o silencio me vigia
Na noite e na vida.
Não vejo mais a vida como eu via.
Hoje cresci
E enxerguei a verdade do mundo.
A fome e a guerra pelo mundo,
Tiram-me o sono e a felicidade plena.














100
Todo dia é dia


No inicio do caminho vi uma nuvem sorrindo.
No meio do caminho encontrei um amor partindo.
Flores em espinho.
Em caminhos separados
Passado é passado.
Em frente...
Em frente.














101
Noites


Passastes por mim
Deixando o seu olhar
Seu coração, seu coração eu ouvi cantar.

Poesias e mais poesias
Comecei a declamar
No vosso céu comecei a desenhar.

Esta noite com você eu quero voar.
Nos dois na lua pura
Juntos a namorar

Noite de prata
Noite adorada
Quero beijo da minha querida namorada.

Oh, lua traga para perto de mim
Minha eterna amada.
Onde as estrelas reflitam nas águas do mar.
Teu rosto
Teu gosto
E em sua molhada boca me afogar.









102
Os poderosos


Quase todos já caíram.
Um, dois, e três.
Ditadores e hipocrisias.

Eles vêm e vão
São as mesmas caras.
Disfarçados de amigos.

Eles dizem:
Não lute
Não viva
Não pense não reclame
Por Deus não clame.

Pensam que mandam em tudo
Escondem-se em gravatas e escudos.
 Mas pensam somente no lucro.

Quase todos já caíram
Um, dois, e três.
Ditadores e hipocrisias.








103

Soneto sete


Continuo com a TV ligada.
No radio ouso o som do violão.
Lá vou eu novamente
Tentar dormir e esquecer esse dia.

Poeta que navega no equilíbrio.
Que enfrenta as tempestades.

Continuo com a TV ligada
No radio ouso o som do violão
Lá vou eu novamente
Tentar dormir e esquecer esse dia.












104
Elas são as flores


Ela tem sabor de rosa feliz.
São flores vivas e fascinantes.
De olhar apaixonante me namora.
Numa manhã azul.

Ando pelo espaço
Seguindo a estrela cadente
Sobre o mar eu vou te amar
Nos oceanos profundos

Alagado de paixão e felicidade.
Essa mulher é perfeita.











105
A guerra lá fora, a politicalha


Onde estão os grilhões?
As nações maternas?
Os carros atropelam e o sinal é vermelho.
É guerra?

É incerto passar pelo caminho movediço.
Os pedestres ficam esmagados.
É falta de humanismo ou é um vicio esse egoísmo?

Os políticos bêbados dançam e zombam.
Zombam dos eleitores sonâmbulos
A politicalha tem uma cara suja.

Alguns têm até cara de santo.
Alguns vivem para mentir
Vestem finas gravatas e até cantam bravatas.










106
Na terra dos homens


O céu esta com a boca cheia de estrelas.
As pessoas repletas de amor e incertezas.
E o sol beija a lua radiante no céu.

O mundo que gira suas criações fumegantes.
A unir e destruir corações.
E a chuva renegada e sozinha
Lava a tristeza e a solidão de quem teme tempestades.

Já no amanhã o grito de quem tem fome.
Sussurra sem nome ou sobrenome.
Na poeira do nada e no silencio do mundo.

O céu esta com a boca cheia de estrelas.
Aqui na terra as crianças famintas de tudo.
Eu cabe a mim rezar para que tem fome de esperança.











107
Estou


Esperando alguém que me entenda.
Que enxergue o amor sem as vendas.
Que é capaz de olhar as estrelas.
Estou esperando minha bela amada.
Estou com saudade da poetiza dos meus sonhos.
A poesia infinitamente cheia de vida.















108
Poema de tudo


O fantasma do amanhã é a incerteza do hoje.
O grito da tristeza é o silencio do coração.
O calmo sorriso é a tranqüilidade da vida.
E a musica da alma é a eternidade da calma.
















109
Lá fora


Lá fora chove
Aqui dentro faz sol
La fora a noite esta de olhos bem abertos.

Lá fora chove
Aqui dentro faz sol
E o farol da praia continua iluminando o navio.
Lá fora chove.

Chove solidão lá fora.
Aqui dentro faz sol.
Amanhã talvez lá fora
Faça luz...












110
Lei da vida


O tempo passou e a vida continua a mesma.
O vento levou as lagrimas do seu rosto.
O dia nasceu e o homem se perdeu
Na guerra que não era sua.

Vi pássaros voando na cidade.
No aranha céu, em lares.
Em quase todos os lugares
Vejo a verdade sobre tudo.

Vi a estupidez dos homens.
Animais brutais ferindo seu próprio espelho.
O tempo passou e a vida continua a mesma.

O dia nasceu e a vida se perdeu.
Na guerra que não era sua.
É a lei da vida?
Não sei, não sei...









111
Madrugada


Essa noite de solitária reflexão.
Quero meus sonhos e meus ideais.
São 3 horas da madrugada.
O dia é quente.
Os sinos estão calados
E meu coração grita sobre as ruas abençoadas.
Que eu estou apaixonado.
Pela linda mulher de olhos azuis e brilhantes.














112
Quem eu sou


Poeta que mergulha na verdade plena.
Poeta que escreve no espelho da razão.
Sou poeta que atravessa com coragem
A ponte de fogo a procura da mulher amada.
















113
Mulher que dança ao caminhar


Muitos dizem que ela é:
-Um pouco quieta
-E muito esperta
De dia ou de noite
Ela é discreta.

Com um olhar inocente ela desperta
Ela desperta inveja das outras meninas
Que a olham com olhar frio.
E o poeta a vigia em seu caderno aparecem
Aparecem estrelas, corações e poesias.

Autor: Charles Magalhães Dedeco













114

Poesia


A poesia nasce da nuvem e da consciência.
O poeta é uma ponte ente a alma e a razão.
Poesia é isso.
Não tem prejuízo
Tem um puro juízo.
Poesia é o elemento da iluminação.
É a verdade e a imaginação.

Autor: Charles Magalhães Dedeco














115
Única saudade


Sou ainda o mesmo.
Navegador tão extremo.
Meu tempo parou quando você me deixou.
Uma saudade hoje bateu em minha janela.

Ouvi a tempestade.
Você não deixou a porta aberta da bondade.
Vou seguindo minha vida.
A luz ainda brilha e o amanhã renascera!
Saudade única em minha vida de luta.

Trabalhar e estudar
É o que me conforta.
Mas quem sabe um dia eu possa lhe encontrar.












116
Doce Beijo


Mulher, você venho em mim
Com um ar de jasmim
E com seu perfume de sândalo
Que impregnou de amor.

Teu jeito era doce
Teu jeito perto de mim
Era um silêncio.

Meu único e infinito desejo.
Era seu beijo.
Beijo de paixão.

Teu mel era tanto
 que até um santo
gostaria de provar.

Mulher, você me enfeitiçou.
Tudo agora é só amor.
Quero sempre mergulhar em teus lábios intensos.  









117
Barulho do mar


Pela janela vejo o tempo passar.
E a chuva fria e acelerada
 No telhado e na rua bate.

Num quarto frio
Cobertores me aquecem.
E o vento sopra no telhado do castelo.

Ouso cair pedras de gelo.
Um barulho arrogante e estrangeiro.
Então no fim da chuva
Grilos começam a cantar.

O poeta não vai dormir hoje.
Não conseguiria mesmo.
Vou me acostumar com o barulho do mar.












118
A vida de todos


Mais um dia que passou.
Mais uma noite se apagou.
O vento levou as paginas do tempo.

Nuvens nasceram no céu peregrino.
É o livro da vida que envelhece.
Junto com as folhas empoeiradas.

Mais um dia se foi.
Nova pagina.
Novo amor!













119
Mundo escuro


Lá vem
Lá vai
A chuva que cai.

A chuva esta vindo
Vem vindo do céu infinito
Parou
Ficou
No mundo tudo molhou!
Casas alagadas
Pessoas vivendo no nada
Sem nada por fazer.

Em cima das casas
Pessoas pedem ajuda...
A cidade dos morros afundou.
Mas ainda existem vidas e reclamações.











120
Santa Maria


Santa Maria
Cidade das aves marias.
Tantas estrelas guias.

São igrejas, catedrais, medianeiras.
Ruas lotadas de pessoas e carros.
No centro o comercio em pleno vapor.

Terra de luta.
Cidade evento e cultura.
Novos talentos, escolas, morros e monumentos.

Terra de mulheres lindas
Cidade de grandes conquistas.

Povo virtuoso e humilde.
Corações virtuosos, verdadeiros gaúchos.
Aqui tudo é notícia, aqui tudo é festa.
Esta é minha cidade infinita, Santa Maria.

Autor: Charles Magalhães Dedeco









121
O poeta solitário


Bateu o sinal.
Apenas mais uma badalado sem som.
Continuo imóvel.

Meus pensamentos correm
Parecem estar numa maratona.
Nem uma música
Nem uma viva alma sequer apareceu por aqui.

As luzes do teto
Iluminam as paginas do caderno.
Somente eu e meus poemas.

Meus poemas me servem de abrigo.
Parece que a caneta ficou contra mim.
Acabou a tinta e o poema chegou ao fim.











122
Navegando o poeta


Sou o andarilho das poesias.
O amanhã me segue na estrada da poesia.
Sigo apaixonado pela mulher poetiza.

Ela me promete beijos
E a chave do seu coração.
Meus olhos sonham com emoção.

Sol um andarilho das poesias.
Navego na brasa do sol.
Procurando a bela amada.













123
Inquietude do amor


Sempre antes de dormir.
Lembro-me de você.
De quando em quando
Fico pensando em uma forma de encontrá-la.
A medida certa da paixão.

O sol apaga as dores do coração.
No silêncio fecho meus olhos e faço uma prece:
Que o nosso amor não seja passageiro.
Que eu encontre ela num dia ensolarado.

















124
Eu mesmo


Sou eu mesmo.
Não escondo os meus segredos.
Sou eu mesmo.
Não sei mentir.

Aprendi a esperar e começar a viver.
Sei que a chuva leva toda tristeza da alma.
Sou eu mesmo, sei apenas o que é a verdade.















125
Hoje


Hoje fui até o infinito mais longe.
Abri a janela do meu quarto
E segui os montes sagrados.

Hoje abandonei meu egoísmo.
Quebrei as pedras e os espinhos.
Joguei no lixo a solidão.
Voei sobre as tardes mais longes...

Gritarei nas montanhas o nome dela.
Gritarei pela cidade que amo ela.
Gritarei aos mil ventos o nome de minha amada.
Amarei sempre ela e a poesia.













126
Água viva


Bebo da água viva.
A fonte de sabedoria.
Em espírito e em verdade
Bebamos a água viva.
A luz divina.

















127
Sozinho


Ando pelas ruas de santa Maria.
Procuro um amor novo.
Um amor de coração límpido.

As ruas estão congeladas.
E as bocas molhadas beijam-se.
Tudo são desejo e amor.

Noites tão frias nas madrugadas vazias.
O inverno e o sereno estão irados.
E as arvores esperam a primavera chegar.

Autor: Charles Magalhães Dedeco












128
A mentira


Beijo cínico de fada serpente.
Lúgubre, pérfida miragem.
Sem verdade, corrupta alma.
Beleza hipócrita.

Mascara da cegueira.
Essência fétida e maléfica.
Seu espelho é quebrado.
Seu rosto maquiado.

Com intenções ocultas.
Seu coração são trevas.
Constantes horizontes finitos.
Ilusão dos olhos profundos...

129

Onde voar?


Passou um passarinho.
Voaram alguns amigos.
Esta tudo sem sentido.

Perco-me longe da luz.

Cai a chuva fria.
Estou com pouca alegria.
Porque a vida esta vazia?

Perco-me longe da luz.

Autor: Charles Magalhães Dedeco












130
A beleza morta


Arvores queimam.
Brasas ofuscantes.
A floresta chora.

Homens desumanos
Mataram a natureza.
A beleza se perdeu no tempo.

O progresso moderno criou o artificial mundo.
Criou as segundas intenções em danos.
Vamos mudar o futuro,
Porque o tempo esta se queimando na culpa.













131
A fada sabedoria


Metade anjo
Metade poetiza
Beleza com inteligência
E melodia.

Tempestade de rosas caídas do céu.
Celestes olhos de mel.
Conhecedora do amor.

Sóbria da razão solida.
Saber em volúpia
Paixão incorrupta!














132
A moradia


E essa imensa casa como será que ficou assim.
O sótão é tão triste.
E essa escada de madeira esta cheia de cupim.
O teto virou moradia das aranhas,
e suas teias diabólicas.

E esse cheiro de mofo me ataca a gripe.
Como esse lar virou um cemitério?
A fuga dos fantasmas abandonados.

Quantas famílias já moraram aqui?
Será que alguém já morreu em meu quarto?
E estes ruídos de madeira a noite?

Ah, e esse silencio da lua.
Como eu gostaria de ver
O sol da ventura.












133
União das almas


Corações em duas mãos.
Almas da igualdade.
Da alma divina.

Mãos diurnas e mãos noturnas.
Que seguem o caminho da bondade.
Mãos amigáveis.

Nobremente afáveis.
Briosamente reluzentes...
União das almas.

Tudo em harmonia.
Perfeição de Deus!












134
Os passos da alma solar


O mundo caminha na neblina.
Caminho que não tem a verdadeira poesia.
Os passos da humanidade
Não tem mais a verdade no olhar.
Os passos do pecado arrancam o coração.
Mas vira o sol da criação
E a justiça do rei sol.
Abraçara as almas de sal.















135
Vida de criança


Brincar de carrinho de lomba.
Brincar de se esconder.
Brincar de saber viver.

Correr com a tempestade.
Fazer rimas só com verdades.
Ser criança é ter um bom esconderijo.

Jogar futebol na rua.
Fazer um sol sobre a lua.
Acender a lanterna na espuma do mar noturno.

É brincar com a chuva que alaga as ruas.
É correr com as folhas que dançam na rua.
É brincar no sol de verão com os amigos.

Autor: Charles Magalhães Dedeco











136
Novo, Brasil velho


O Brasil vem subindo a montanha.
Com seus impostos e muita grana.
Ora, já o povo desce a favela.
Com medo do tráfico e da miséria.
Alguma coisa mudou?
Sim, agora a corrupção e a
politicalha tirou a mascara.
Viva o Brasil!
Viva a mudança obscura.

Autor: Charles Magalhães Dedeco















137
Homens vícios



Vejo dois seres em um pequeno mundo.
Criando o balsamo da vida...
Eles estão dentro da garrafa explosiva.
Numa cegueira noturna.
Uma eterna ilusão...
Como viverão tanto tempo
Em busca de refugio?
Nessa estrada ninguém dura muito tempo.















138
Poema Platônico


Ah, este âmago dourado e enfeitado.
Num crepúsculo ensolarado.
Estas mãos juntas e justas.
Poeticamente platônica!
No sol que se levanta.
Na terra que se tem esperança

















139
Janela aberta


Sabe aquele velho sonho
Onde o colocaste?
Engavetado num passado rasgado.
Não deixe os teus sonhos para trás.
Leve-os consigo.

Abra teus olhos
E enxergue que tu não estas sozinho.
Existe uma luz alegre e um caminho estreito e puro.

Deixe a poesia ti levar.
Em um sol sonhar.
Porque a noite ainda tem estrelas.

A lua sempre existira.
E enquanto houver luz o amor sempre renascera.











140
Mulheres


As louras são lindas,
As morenas entram sempre no clímax.
São na beleza esculpidas.

As duas são perfeitas,
Mas prefiro à loura.
Se bem que as morenas são douradas do sol.

Uma é cheia de mel.
A outra é lua pura e desejo.
Loura ou morena.
Quem amar?
Qual namorar?
Loura ou morena
Qual beijar.

Autor: Charles Magalhães Dedeco











141
O amor e a paixão


O amor sabe esperar.
A paixão sabe beijar.
O amar é verdadeiro.
A paixão é fogo o ano inteiro.
O amor é infinito,
Já a paixão união dos corpos ardentes.

Autor: Charles Magalhães Dedeco
















142
Do que gosto


Não gosto de mentira.
Não sigo o que é oculto.
Não tenho segredos.
Não tenho medo de nada.

Sou livro claro e transparente.
Gosto da poesia autentica.
Gosto de mulher verdadeira.
Alegre e inteligente.

Gosto da mulher brasileira.
Mulher de maliciosa beleza.
E assim eu sigo a estrada.

Até encontrar a mulher certa.
A procura de minha amada abençoada.


Autor: Charles Magalhães Dedeco


















143
Registrando


Sempre quis ser um jogador de futebol.
Sempre quis ser um cantor de rock.
Parecido com bob Dylan.
Sempre quis ser um diretor ou roteirista de cinema.
Sempre quis ser um grande jornalista.
Talvez eu seja um dia.
Os sonhos servem para não dormir muito
E correr atrás dos sonhos desejados.

Autor: Charles Magalhães Dedeco















144
Sim, eu sempre soube


Nasci no rio grande do sul.
Na cidade de santa Maria, o coração gaúcho.
Lugar de mulheres lindas, um paraíso sem fim.
Santa Maria é encantada todo dia.
Musas passam por mim desfilando a beleza viva.
Meus olhos cantam de desejo.
Montanhas verdes no horizonte da cidade do lampejo.
Sim eu sei.

Sei quem eu sou, e sei que todos sabem.
Que amo de infinito prazer à mulher com flama.
Essa minha donzela namorada do beijo da chama.
Sim, eu sei.

Sou um homem que vive para amar a lua real.
A mulher de pele suave e sorriso iluminado.
Que vivo para amar a moça de vestido de cristal.
Sim, eu sei.

Amo desesperadamente a mulher de boca despida.
Seu semblante perfeito e seu clímax.
Seu corpo de lume intensamente acesso.
O perfume e a beleza que só a mulher tem.
Sim, eu sei.

Que amo o sorriso dela que me tira o sono.
E me traz o sonho de estar com ela sempre.
Sim, eu sei.
Que amo de prazer à donzela, eu sei.







145
Caminhando na cidade


Caminhando na cidade no centro da beleza.
Vejo lindas mulheres num dia de domingo.
Pernas, seios e delicias.
Corpo encantado como poesia.
Ruas cheias de musas deliciosas.
E a cidade segue perfeita.
Penso comigo mesmo, isso sim é felicidade.

Caminhando na rua caço uma musa.
Procuro uma bela namorada.
São 17 horas da tarde, e o relógio diz que é agora.
Uma fada dourada me olha.
Ela sorri com um sorriso molhado.

Caminho com ela.
Beijo seus doces lábios.
Conheço seu coração e o seu pensamento.
Mãos juntas, cominho com ela ruma à lua.
Seu corpo brilhante é somente fogo.












146
Quero uma amada em todas as estações


Quero uma amada em todas as estações.
Toda nua que aqueça meu corpo e meu coração.
E seja minha tropical lua
Minha lua fogosa e pura.

Quero uma amada no inverno e na primavera.
No outono e no verão.
Estação de paixão.

Quero uma mulher amada assim.
O mundo é só felicidade e beleza.
Eis que minha vida é esta estação risonha.
O coração é uma canção verdadeira.

Quero uma mulher que me ame em todas as estações.











147
Talvez eu seja um poeta


Meu estilo é tão somente meu.
Respiro poesia em minha visão.
Em minha alma navega a emoção.

Esse meu orgulho me faz mergulhar no poema.
Com precisão acendo o fogo da paixão.
Eis que para a mulher amada faço a canção.
No vento, no amor, na felicidade ou na solidão.

A verdade me embriaga de razão.
Minha poesia corre no tempo.
Na luz da reflexão.
Tudo faz parte, é parte da emoção.

Minha razão quer sempre virtude.
E meu coração com ela sorri eternamente.
Um sorriso verdadeiro e cheio de poemas.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


  








  







(Rm 12. 9)

“O amor seja sem hipocrisia.”

Eclesiastes 9:11

Percebi ainda outra coisa debaixo do sol: Os velozes nem sempre vencem a corrida; os fortes nem sempre triunfam na guerra; os sábios nem sempre têm comida; os prudentes nem sempre são ricos; os instruídos nem sempre têm prestígio; pois o tempo e o acaso afetam a todos.

- João 3,19-21

"Ora, este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a luz, pois as suas obras eram más. Porquanto todo aquele que faz o mal odeia a luz e não vem para a luz, para que suas obras não sejam reprovadas. Mas aquele que pratica a verdade vem para a luz. Torna-se assim claro que suas obras são feitas em DEUS."

- Mt 5,11-12

"Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós."

1João 2,9-11


"Aquele que diz estar na luz, e odeia seu irmão, jaz ainda nas trevas. Quem ama seu irmão permanece na luz e não se expõe a tropeçar. Mas quem odeia seu irmão está nas trevas e anda nas trevas, sem saber para onde dirige os passos; as trevas cegaram seus olhos." -

- Pr 6,16-19

"Seis coisas há que o Senhor odeia e uma sétima que lhe é uma abominação; olhos altivos, LÍNGUA MENTIROSA, mãos que derramam sangue inocente, um coração que maquina projetos perversos, pés pressurosos em correr ao mal, UM FALSO
TESTEMUNHO QUE PROFERE MENTIRAS E AQUELE QUE SEMEIA DISCÓRDIA ENTRE IRMÃOS."

- 2Tm 4,3-4

"Porqu