Efésios 6:14




Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a couraça da justiça.
Efésios 6:14

6 de abr de 2015

Livro: Inquietudes e iluminações (2004-2005),autor: Charles Zimermann,


Estações do coração


Teu sentimento profundo
Luta com seu próprio escudo.
Com as mãos do amor invisível
Com o mar da tristeza em fúria.

O amor esta sendo semeado
Em jardins de pecados.
Não duram muito tempo
Na tempestade da alma!

Teu sentimento profundo
Luta com seu próprio escudo.
Com a mão do amor invisível
Com o mar da tristeza em fúria...

Autor: Charles Magalhães Dedeco













Salvem as flores!


Em jardins brotam novos amores.
Mas as flores mortas com sede e sem vida.
Quase vencida pela morte...

Pobre flor! Esperando alguém regá-la.
Com gotas de água de amor.
Hoje, até mesmo a chuva secou.

As nuvens ficaram paradas.
As flores não desistem.
Elas sabem que a esperança sempre existirá!

Suas pétalas estão murchas.
Sem aroma, e podres no jardim quente e frio.
Porem deixou no mundo suas sementes.

Pequenos afetos.
Crianças verdes
Novos oxigênios em versos...

Autor: Charles Magalhães Dedeco









Quem se foi com a lua


A lua se foi.
O nosso amor quem foi?
Foi a chuva que não me molhou?
Foi o beijo da lua que em mim se afogou!

O dia terminou.
O nosso amor imortal acordou.
Apenas veja como começou.

A solidão eu vi.
Medo eu não senti.
Até conhecer o fim...

As tempestades começaram.
As tristezas enraizaram.
E a lua fugiu com o dia nascente.

Autor: Charles Magalhães Dedeco












Cotidiano da violência


Os dias estão contados.
O que vem por ai é guerra?
Sentimentos de plástico?
Vidas presas pelo dinheiro e a cobiça.

Não engane teu coração.
Não causem essa terrível destruição.
Nesse filme da vida torta.

Nesse passado queimado.
Nesses dias parados.
Em espinhos em flores vocês viverão?

Num presente decadente e envenenado?
Bombas caem por todos os lados.
E vejo corações gelados e mornos brigarem.

Autor: Charles Magalhães Dedeco












Quem me entende?


Sou o arquivista dos meus sentimentos.
Guardo as boas lembranças
Em caixas numeradas.

Memórias tristes
Cansaço pensativo
Paciência exclamativa

Sou o letrista dos poemas sem métricas
E sem remetentes.
Então, converso comigo mesmo.

Somente assim eu quase me entendo.
Acho que somente Deus me entende.
Consegui refletir minha poesia.

Pois minhas letras são tortas e repetidas.
Algumas estão mortas
E outras com mais vida...

Autor: Charles Magalhães Dedeco









Ser poeta


Quando escrevo minhas poesias
Sinto o dever de dizer o que sinto e vejo.
Alem das palavras faço minha vida resumida
Em pequenos poemas da alma.

Acordo com meus pensamentos
Dizendo que nunca é tarde
Para acordar do sono cego do mundo.

Dizer palavra sabia.
Minguada
Amarga pagina
Desbotada...

Noite mágica
Prateada
Estrelas rasgadas
No céu de lágrimas...

Autor: Charles Magalhães Dedeco










O sol se faz sozinho


O sol ilumina o homem.
Meu pensamento é um poema
Que nasce no peito.

Não ficaras em vão
O que você guardou de recordação.
No diário, no orvalho do dia
Na solidão viva.

O sol ilumina o homem
De braços abertos
Na humanidade de se fazer humano.

O sol nasce sozinho
Pássaro sem ninho...
Pássaro sem ninho...
Nos passos sozinhos.

Autor: Charles Magalhães Dedeco











Infância que voltou


Hoje acordei de manhã
E vi um filme passar por minha memória.
Lembrei-me de meus velhos amigos.

No espelho da infância
Onde tudo era tão calmo
Tudo tão verdadeiro e puro.

Tempo esse que não passava.
A lealdade e a afeição era uma infinita humildade.
Uma infinita inocência... Uma infinita humanidade.


Autor: Charles Magalhães Dedeco
















Paixão da alma!


A paixão é uma força que si ama.
Que renasce das cinzas.
É o amor, é o cantor.
É a música do saber.

É a poetiza que vive sozinha
Que é cercada de esperança.
É o auge da emoção.
Perde-se no infinito tempo...

Tempestade no coração
No calor do sol
Vento que sopra e sacode
A floresta do desejo.

É o trovão e a iluminação dos olhos.
É o abraço da lua
É a lua e o sol que eternamente se amam.
Amar, amor, amar, o que é esse despertar?

Autor: Charles Magalhães Dedeco




A face do amor


Tendo em minhas mãos o amor.
Que não quer final.

O grito mais alto da alma.
Caminhando vivo sobre o sol.

Não podemos nos perder
Oh, querida amada

Sou um solitário
Vagando atrás
A procura de um amor que não seja imaginário.

Uma bela de vestido vermelho.
Resgato a noite
Em grãos de poemas e repleto de estrela natural.

Na face do amor
Nasci à confiança
Existe a mudança...

Na face do amor
Inventar uma nova musica
Na chuva e no sol puro.

Autor: Charles Magalhães Dedeco




Nosso futuro é governado


O presente cego vem nos cegando.
O tempo de criança esta acabando.
A porta do pecado vem poluindo rios.

Sempre discreta para nos cegar.
Vamos então fazer nossa parte
Plantar um bem mais sustentável.

Os homens que governam o mundo
Dizem serem eles o próprio futuro
Mas sabemos que eles são planos escuros.


O presente cego vem nos cegando.
O tempo de criança esta acabando.
A porta do pecado vem poluindo rios...


Autor: Charles Magalhães Dedeco











Flores dos poetas


Não apague a luz
Em noites mudas.
Vejo tudo tão só
Porque não tem sol nessa manha.

Não me deixes sozinho
Agora eu quero tua presença.
Porque o dia perdeu o brilho.
E as horas ficaram manchadas e os meses pacatos.

Meu coração navegante
Agora navega distante...
Por isso não me deixes só.
Nem feche a porta do sol.

Nosso sol quer existir.
Não arranque a luz.
E o meu coração azul.
Deixe-me de iluminação eu vestir.

A poesia é a solução!
Então não apague a luz
Nas noites mudas
O futuro ainda tem esperança e mudança.

Poesia, poesia sempre lute poesia!

Autor: Charles Magalhães Dedeco


Tuas cartas


Tuas cartas
Aquelas cartas
Me fez encontrar conforto.

Em letras douradas
Em seu coração vermelho de batom
Num desejo do beijo de flor.

Aquela carta era um bilhete premiado.
Um profundo romance registrado.
Essência do mais perfeito e tempestuoso amor.

Em tuas cartas
Aquela carta de perfume
Me fez encontrar conforto.

Em letras douradas
Em seu coração vermelho de batom
Num desejo do beijo de flor.

Autor: Charles Magalhães Dedeco









Mais triste do que isso


Tem coisa mais triste do que a semente sem a terra?
Do que a solidão sem o poeta.
Do que o cheiro suave da flor
Sem ninguém para cheirá-la?

Tem coisa mais triste do que o futuro sem planos?
Do que a esperança sem a fé.
Do que a vida sem a verdade e amor.
Sem a fome de luz e sede por paz.

Mais triste que isso somente
Eu, sem minha amada poetisa...

Autor: Charles Magalhães Dedeco
















Assim nasce o sol


Voltou o dia em uma noite clara.
Numa chuva de sol.
Sai de casa a procura de um amor puro.
Porque não me perdi no vazio do mundo.

Atrás da dela e da felicidade eu fui.
Rumo pela vida
Achando a saída no coração.

O sol radiante me fez forte.
Até a noite clara voltou
Na chuva de sol.

A lua escura virou dia.
Nos pés da Alma e da sabedoria.
Então a simplicidade ressuscitou.
Assim o sol renasceu...

Autor: Charles Magalhães Dedeco











A face da noite


Acho que a insônia quer ser minha amiga.
Ela não me deixa dormir.
Com os olhos bem abertos
Ela me serve café e liga o som bem baixinho.

Assim ninguém acorda
O telhado fica dormindo
Apenas eu e a insônia sorrindo.

Fico pensando na amada.
Na bela mulher de cor de rosa e vermelho.
Mas a cama esta toda vazia.
Sem nenhuma bela poetisa, a cama toda fria.

E a porta aberta perdeu a chave do coração.
Onde estaria minha amada?
E este pesadelo da vida escura e solitária.

Na realidade da noite dentro do meu lar.
Vejo que somente pelo amor
É que vale apena lutar.
Que vale apena viver.

Na realidade da noite a musa não apareceu.
E eu vi que não era sonho.
E não era sonho. Era solidão.

Autor: Charles Magalhães Dedeco


O amor e a paixão


Era o começo sem fim.
Endereçado para seu coração feliz.
O passado que não passou
O presente que começou
Canção intima
Para o dia de verão
Inverno que busca calor
Na alma e no coração.
Flor com mel
Fonte de vida
Olhos da conquista
Escultura perfeita
Folhas dançarinas
Vento suave e forte apaixonante.
Amor, paixão dor e ciúmes.
O que é o amor?
O que é a inflamada paixão?...

 Autor: Charles Magalhães Dedeco











O mundo de plástico


Lá fora
Na noite
Vazia e oculta
Fazia frio
Sem nenhuma musica.

O pecado anda por todos os lados.
De segunda a domingo
De futilidades a cegueira na alma
Nas ruas e nas cidades inseguras.

Lá fora
Na noite
Vazia e oculta
Fazia frio
Sem nenhuma musica.

Autor: Charles Magalhães Dedeco












Lá vou eu


Lá vou eu novamente
Com a nova caneta do modernismo.
Adentrando a velha porta do conhecimento.
Vendo a sabedoria pensativa

Lá vou eu novamente
Lendo compulsivamente
Escrevendo a verdade
A poesia e a prece.

Lá vou eu novamente
Com a nova caneta do modernismo.
Adentrando a velha porta do conhecimento.
Vendo a sabedoria pensativa


Autor: Charles Magalhães Dedeco













Minha força civil


Camuflado no meio do nada.
Num campo de guerra.
Numa cidade castelo.
Nas forças armadas.
Em boina preta.
Quem tem razão?
Quem tem coração?
Em tropas andantes
 Em armas dançantes
O ódio é o único sorriso desse lugar.
Aqui se aprende a matar e a morrer.
Os blindados esmagam inimigos.
Alguém nesse lugar sabe
Ao menos sorrir e dizer obrigado?

Autor: Charles Magalhães Dedeco














Viver


Meu viver é tudo um aprender.
Infinito ser.
As ondas nos fazem cair.
E é nela que ganhamos força para seguir.

A luz do viver sempre me abraça.
Ela é a esperança eterna que nunca acaba.
A solidão às vezes aparece
De forma solidaria, ela sorri.

Meu viver é uma reflexão
Uma alma lavada
Noite puras
E silêncios musicais...

Autor: Charles Magalhães Dedeco














O beijo da saudade


Se sentires um vento beijar tua boca.
Saiba que é minha boca que lhe beijas
Em silencio e em molhado beijo.

Nesse desejo sem maldade.
Nesse firmamento, nessa eternidade.
Impacientemente te procuro mulher saudade.

Se sentires um vento beijar tua boca.
Saiba que é minha boca que lhe beijas
Em silencio e em molhado beijo.

Nesse desejo sem maldade.
Nesse firmamento, nessa eternidade.
Impacientemente te procuro mulher saudade.


Autor: Charles Magalhães Dedeco












A procura da perfeição


Sou um iluminado.
A procura de uma linda mulher.
Não sou um anjo.
Nem o mais puro santo.

Minha alma é de açúcar.
Não sou perfeito
Sou um ser humano, um poeta pecador
Ao encontro de minha perfeição

No caminho de luz.
Sou um iluminado.
A procura de uma linda mulher.
Não sou um anjo.
Nem o mais puro santo.

Minha alma é de açúcar.
Não sou perfeito
Sou um ser humano, um poeta pecador
Ao encontro de minha perfeição
No caminho de luz.


Autor: Charles Magalhães Dedeco






Reveja a vida


Esperança é ver todos vivendo pela paz.
Sem se preocupar com o amanha que não chega.
Porque agora é toda hora ser feliz.
E aprender com os outros a sorrir.
Rir é querer seguir.
Amar é chorar para limpar a alma.
No sonho que não é passado.
Com o passado que é somente poeira.
Achar a luz e saber que tudo já passou.
Esperar um amor e saber que o amor não acabou.
A fé na alma deixa de pé todo ser humano.
Maior que tudo é a esperança de viver.
Olhos claros poesia por todos os lados.
Reveja a vida, ela quer aprender com você.

Autor: Charles Magalhães Dedeco














Acordado


Ouso meus gritos de poeta.
No silencio da noite.
Que nunca dorme.

Pronuncias de verdade.
Poesias unificadas.
Sabedoria da eternidade.

Ouso as estrelas falarem
E os grilos cantarem.
Uma melodia de viagem.

Os carros me acordam
O silêncio não me deixa dormir
Tudo fica tão calmo e minha inspiração explode.

Tudo fica calado e agitado.
Minha alma queima pureza.
Meu coração ferve poesia.


Ouso meus gritos de poeta.
No silencio da noite.
Que nunca dorme.

Acorda cidade!
Acorda verdade!
Viva o amor entre as cidades.

Autor: Charles Magalhães Dedeco



Adolescência


Juntando pedras pelas ruas.
Atirando em garrafas vazias.
Seguindo o caminho...
Cantando a musica sem espinho...

Os poemas vêm e vão.
Motor ligado sim ou não.
E as noites mal dormidas
Faço uma poesia que me faça feliz.

O vento levou tudo embora
Mas o amor continuou.

 Juntando pedras pelas ruas.
Atirando em garrafas vazias.
Seguindo o caminho...
Cantando a musica sem espinho...

O vento levou tudo embora
Mas o amor continuou.

Os poemas vêm e vão.
Motor ligado sim ou não.
E as noites mal dormidas
Faço uma poesia que me faça feliz.

Autor: Charles Magalhães Dedeco



Pássaro visionário


Carros fumam o nosso ar.
E orquídeas e jasmins morrem.
Por praga ou azar.

Vejo pessoas passarem
 Pelos grandes centros urbanos
Como se fossem manequins
Do modernismo tolo.

Marcas, bonés, camisetas...
Até o vira-lata veste grife.
Homens parasitas pensam serem reis do mundo.

Burgueses, gravatas, poder e politicalha.
Somente não compram o pássaro visionário.
Que voam nas noites e dias pela montanha sagrada.
Não compram os puros de coração.

Autor: Charles Magalhães Dedeco











O começo


Sinto falta daquele seu doce sorriso.
De sua simplicidade.
Sinto falta dos tempos
Em que ficávamos até tarde admirando
O suave brilho da noite.

Sinto falta da nossa amizade.
Dos tempos que conversávamos
Sobre coisas da vida e do mundo.
Da luz dos teus olhos.

Sinto saudade do seu jeito de falar
E o gosto de suas palavras
Da sua celestial boca vermelha.
Sinto falta daquele seu doce sorriso.
De sua simplicidade.

Autor: Charles Magalhães Dedeco












Você lua pura


Você deixou um espaço
De poesia inacabada.
Noites serenas
E manhas claras e verdadeiras.

Você bela musa
Em meu coração vive.
Na estrada iluminada.

Você me deixou mil beijos.
E uma saudade que não partiu
                       Você deixou um espaço
De poesia e amor inacabado.


Autor: Charles Magalhães Dedeco





Amor e olhar


O teu olhar em mim brilha.
Na tempestade mais viva.

Lembra-se daquele sol.
Em que te via com olhar de espanto.
Com medo dos trovões e relâmpagos.

Perto de mim tu estavas feliz.
Nosso amor era unificado.
O teu olhar em mim brilha.
Na tempestade mais viva.

Autor: Charles Magalhães Dedeco

















Nós e o mundo


Sobre a morte das tardes.
Os raios caíram na sombra do nosso amor.
A luz da manhã foi esquecida.

Quando virá o dia seguinte?
Será que voltarei atrás do passado?

Sozinho eu não quero ficar.
Me dê sua confiança.
E tudo vai passar.

Às vezes é preciso chorar
Para purificar a alma.

Às vezes é preciso sorrir
Para não enferrujar a alegria.

Sobre a morte das tardes.
Os raios caíram na sombra do nosso amor.

Autor: Charles Magalhães Dedeco









Estrada do mundo


A fumaça das ruas cega minha visão.
As lagrimas do amanhã caiu em vão.
As arvores cinzas afogam-se e são derrubadas.

Restos de esperança me aquecem
Desse inferno sem coração.

A fumaça das ruas cega minha visão.
As lagrimas do amanhã caiu em vão.
As arvores cinzas afogam-se e são derrubadas.

Restos de esperança me aquecem
Desse inferno sem coração.

Autor: Charles Magalhães Dedeco















Avante Querer!


Entreguei-me a ela.
Fui aos céus e voltei
Com asas de papel e poesia.

Eu ergui meu próprio mundo.
Por não acreditar
Nas promessas vazia.

Degustei a lua
Desenhei a rua
Fiz chover tempestades de estrelas.

Nosso amor caminhava com uma balança da alma.
Mas seu beijo mulher estrelar
Fazia-me viver e respirar.

Degustei a lua
Desenhei a rua
Amei a musa mulher e essa lua.

Autor: Charles Magalhães Dedeco









Dois corações


O pássaro que voa livre.
Sinto inveja e estou triste.
Pergunto-me se sou capaz
De melhorar o mundo.

Bela poetiza nossa voz é forte.
Nossa esperança explode paz e bondade.
O pássaro que voa livre.
Sinto inveja e estou triste.


Autor: Charles Magalhães Dedeco


















Despertar


Amante da noite.
Forasteiro do dia eu sou.
Minha vida é um copo de alegria.

Embriago-me de sensibilidade.
Essa é minha maior verdade.

Ao despertar de um sono
Vi uma luz flutuar no ar.
E adentrou a janela.

Amante da vida
Forasteiro do dia.
Eu sou!

Na chuva avante navego...
Pelo vidro da janela de luz.
Forasteiro virtuoso e puro eu sou!

Autor: Charles Magalhães Dedeco










Velha noticia de sempre


Não há nada para dizer.
Vou ler jornais e revistas antigas.
As gravuras perderam o sentido.

Não há palavras
Não há palavras...
Ontem tinha Graça!

Mas agora não há nada para ver
Vou ouvir musica
O noticiário esta repetido...

Autor: Charles Magalhães Dedeco

















Nosso amanhã


Mais um dia se passas.
Sobre as madrugadas minhas.
Caíram nossas estrelas
Subiram tristezas.

Acabaram-se os dias.
A noite pura para mim
Tornou-se moradia.
Tornou-se inspiração minha.

Nossas alegrias desbotaram perdidas.
O sol sem vida.
O som em silencio
Longe do amor

Quem pisou nas flores?
Quem apagou o final do livro da vida?
Quem não soube amar?
Quem não sabia sonhar nesse amanha?...

Autor: Charles Magalhães Dedeco









Seu rosto ao sol


Nessa triste noite de inverno.
Sigo no caminho incerto.
Correr atrás da lua
Ou esperar o verão acabar.

Minha bela amada.
Que ao sol deita-se.
Atirarei uma flecha de amor
Em seu coração.

Para apagar essa dor imensa.
Mas nessa triste noite deserta
A união me da uma linda canção.
Tamanha felicidade que me arde o amor.

Bela amada, seu rosto ao sol.
Parece um sonho real.
Seu rosto sobre a lua
Parece a mais linda musa!


Autor: Charles Magalhães Dedeco








Entre o amor e as palavras


Você disse que me ama.
Mesmo no sonho tu me chamas.
Nas estrelas do céu.
Nas noites de mel.
Tu me amas às vezes me odeia.
Entre lagrimas e sorrisos caminha o coração.
Há noites em que fico pensando
Em você dias inteiros.
Inerente é o nosso coração!
Palavras, cartas, flores...
Nosso amor é como algodão doce
Derrete na doce boca.

Autor: Charles Magalhães Dedeco
















Plantando luz


Oh, triste amor porque choras tanto?
Veja esse lindo céu santo.
E saiba que eu te amo.

Oh, triste amor porque choras tanto?
Saiba que você é minha felicidade.
Oh, triste amor, te amo poemas inteiros.
É verdade.

Oh, triste amor porque dessa tristeza.
Quero te fazer feliz em toda a estação.
Saiba que te amo...
Isso é verdade.

Autor: Charles Magalhães Dedeco















Jardim envenenado


Já está a plantar petróleo?
No mar morto?
As luzes apagaram?
A janela do sol fechou?
Porque o mundo caminha assim?

E os pés são feitos de argila?
E a poluição?
E esse ruim clima?
Esse espinho e esse caixão?
Porque o mundo caminha assim?


Autor: Charles Magalhães Dedeco
















Viver o agora


Quem é minha anjelica?
Que me sorri e não me deixa mentir.
Deve ser luz, que me seduz a amar.

Quem é minha Anjelica?
Que não me deixa sozinho.
Nem trancado num quarto quieto e vazio.

Quem é minha Angélica?
Que tenta achar um caminho perfeito.
Quem é minha musa?

O anjo da guarda invisível de luz.
Enviado por Deus.
Quem abriu a porta e deixou a esperança acordada?

No espelho não sou mais aquele cara fechado.
Meu coração esta por todos os lados.
Minha amada, a deusa me trouxe paz.

Seguirei hoje essa melodia.
Bossa nova, rock, um folk seguirei...
Seguirei os anjos de Deus, amem!
Autor: Charles Magalhães Dedeco






Criando um sul azul


Com um céu abrindo no sul.
Num dia que nasce mais azul.
No olhar atento da América do sul.
Vejo o progresso e a luz.

Num vento celestial de poesia.
Nos morros, nas cidades, nos serenos.
Nas fabricas, nas indústrias, nas ruas...

Com um céu abrindo no sul.
Num dia que nasce mais azul.
No olhar atento da América do sul.
Vejo o progresso e a luz.

Autor: Charles Magalhães Dedeco















Declarações de poeta


Brincamos no sol.
Dormimos no silencio da noite.
Acordamos de um sonho feliz.

Fazemos planos.
Conversamos sobre o amor.
E os nossos desenganos.

Brincamos na areia.
Na chuva que namora a natureza.
Acordamos no luar açucarado.

Acordamos de um sonho.
De dois corações apaixonados.
Vamos fazer o amanha.

Cantamos músicas de esperança.
Os desenganos viram
Declarações de poeta...

Autor: Charles Magalhães Dedeco









A guerra do mundo


Neste mundo de guerra
Quem vai nos salvar
Neste mundo de selva
Não quero morar.

Neste mundo de guerras
Não há sol
Não a sorriso
Nem abrigos.

Os tiros ferem os homens
Crianças pegam em armas de fogo
Esse inferno de mundo
Em que a vida não tem honra.

Autor: Charles Magalhães Dedeco














 Dom Quixote


Caminhava alegremente
Um fidalgo com armaduras reluzentes.
Caminhava e tropeçava em pedras de açúcar.
Ele era de La mancha.

O sonhador da Espanha.
O leitor que se dizia cavalheiro.
O herói da justiça.
O inventor de batalhas esquisitas.

Caminhava alegremente
Um fidalgo com armaduras reluzentes.
Caia e levantava de um cavalo feito de madeira.
Sua espada era feita de areia.

Sobre o mar das ilusões
Ele enfrentava dragões
Moinhos de vento.
Sua própria loucura .

Seu coração era de Dulci.
Seu fiel escudeiro era Sancho.
Seu amigo era um cavalo chamado Guaporé.
Quixote era um andante da estrada de nuvem.


Autor: Charles Magalhães Dedeco



Sombras da noite


Nas sombras da noite
Meu coração se esconde.
Nas estrelas acordadas
Busco uma amada.

No sol da amizade
A simplicidade mergulha
Em meu coração de poeta.

Pelas sombras da noite
Eu ando devagar
Pelas ruas de qualquer lugar.
Cantando e cantando somente por cantar.

Onde tu fores eu vou
Na estrada do céu claro e puro
Eu estou.

Mas sem você o céu escurece
A planta do nosso amor não cresce
Tudo padece e fica mudo.
O que era claro fica escuro.

Autor: Charles Magalhães Dedeco






Solitário


Eu hoje subi a serra
Segui meu caminho.
Sobre a lua cheguei à poesia.

Solitário do inverno
Solitário da primavera
Talvez encontre o verão
Talvez encontre o verão
Talvez não.

Fazer uma musica
Oferecer uma musica
Solitário
Na solidão.

Vou ficar em casa criando poesia
E o que viera ser
Você é o meu dia

Amar-te na frente da lua
Amar-te longe da espuma

Quem é você que vive na lua
Mulher lua
Quem é você...

Autor: Charles Magalhães Dedeco



Romance de adolescente

 
Eu sou o que sou
Eu sou o que sou
Um poeta do amor.

Eu vi você sozinha num domingo
Procurando um abrigo
Querendo um amor
Querendo um romance.

Tão sozinha você estava
Você passeava pelos campos
Teus sentimentos são de cristais.

Talvez no carnaval
Você saia comigo
Teus sentimentos são de cristais.
Talvez no carnaval
Você saia comigo

Fiz uma musica para você
Numa noite tão bela
Oh, minha garota, oh, minha garota...

Autor: Charles Magalhães Dedeco







Vamos passear


Vamos passear pela rua
Vamos passear...
Eu quero passear
De mãos dadas
De mãos dadas
Subindo e descendo as escadas.

Que solidão que nada
Vou subir as escadas
Até encontrar um amor

Já é tempo de renovação
As cartas estão fora do baralho
Reis e rainhas estão solitárias.

Escute minha voz
Que fala enquanto você dorme
Amanhã quero namorar

Subindo as escadas
Que solidão que nada
As cartas estão fora do baralho

E você não deixou nem um recado
Que solidão que nada
Vou subir as escadas

Autor: Charles Magalhães Dedeco


Primavera chegou


Primavera chegou e meu amor voltou.
Os sinos começaram a chorar.
De saudade, de verdade.

Tempo começou a girar.
O meu amor voltou.

Tudo continua o mesmo.
Na cidade o vento.
Tudo continua o mesmo.
Na cidade que dormi cedo.

Tudo continua o mesmo.
Na cidade o vento.
Tudo continua o mesmo.
Na cidade que dormi cedo.


Autor: Charles Magalhães Dedeco











Apaixonado

Não da mais para viver
Sem amor e sem calor.
Há dias em que fico pensando
Como seria um amor eterno.

Um romance que nasça do coração
Um romance que nasça da razão.
Há dias que eu fico sozinho
Com o coração apaixonado.
Há dias em que fico assim...


Autor: Charles Magalhães Dedeco


















Esta um lindo sol


Esta um lindo sol de verão.
Esta um lindo sol.
Então porque ficar em casa

Vou sair com minha namorada.
Porque lá fora não chove não.
Esta um lindo sol de verão.

Em casa não tem mais graça
Ficar sozinho, não tem mais...
Sozinho eu não quero ficar não.
Porque lá fora esta um lindo sol de verão.

O tempo passa, o tempo é felicidade.
O tempo se esgota, e sei que é verdade.
Sozinho eu não quero ficar não.
Porque lá fora esta um lindo sol de verão.

Vou passear com minha linda namorada.
Neste magnífico sol de verão.
Não há mais poeira no chão.
Não há mais ilusão.
Não há mais.


Autor: Charles Magalhães Dedeco




Coisas de poeta


A vida quer mel.
Uma fatia de amor.
Quero devorar a melodia.
E chorar pelas coisas esquecidas.

Crianças fazem castelos na areia.
E pintam o mundo de azul e amarelo.
Em meio ao sol do verão.

A noite chega e cai.
Na janela vejo pessoas caminhando lentamente.
Então desenho o céu com luz.

Coisas de poeta
Sonhar com um mundo mais feliz
Coisas de poeta...

Autor: Charles Magalhães Dedeco












O dia esta escurecendo


Onde esta o poeta?
Escondido nas palavras triste.
O que restou?
Escombros de uma saudade
Uma solidão sem piedade.

Onde esta o poeta?
Sofrendo pelos outros.
Tentando achar a solução.
Para clarear a escuridão

Onde esta a lua viva?
A praia esta escura e vazia.
E a poesia sumiu.

Autor: Charles Magalhães Dedeco














Até encontrá-la


Dias passam
Sigo e respiro
Com calma...
A chuva lavou minha alma.
As virtudes caminham erguidas.

Sonhos meus que mergulham
Na esperança.

Dias passam
E minha amada onde esta?
Sigo e respiro
Com calma...
Até encontrá-la.

Autor: Charles Magalhães Dedeco














Biblioteca do tempo


No grande livro sem capa.
Faço o tempo ter estradas.
Nas estantes empoeiradas
Livros que fazem parte de mim.
Poetas da noite
Poetas do dia
Nessa biblioteca não há solidão.
Faço uma historia de amor
Em pleno século 21.

Autor: Charles Magalhães Dedeco



















Passa tempo


São tantos os sonhos.
Que tenho medo de acordar.
São tantas as lagrimas
Que tenho medo de me afogar.

São tantos os nadas.
Que minha solidão reclama.
São tantos os caminhos.
Que prefiro escolher a humildade.

Autor: Charles Magalhães Dedeco



















Lei da Sobrevivência



Soldado eu não quero ser.
Quero ser poeta e artista.
Mas essa violência
Vestida de branco
Não é coisa boa.

Poderosos jogam sorrindo.
Escondidos em gravatas e cofres gentis.
Larápios abraçados pelo povo.
Cuidado para não cair na selva.
Na lei da sobrevivência.

Os mais fracos viram jantar.
Se cuide!
O mundo virou a selva moderna
Do surrupiar...
Se cuide.


Autor: Charles Magalhães Dedeco








A tempestade e o pássaro


Uma chuva começa e o pássaro com pressa corre
Com medo da tempestade...
Cada trovão que cai é um barulho de espanto
Para o passarinho assustado.
A chuva então parou!
Um coral de pássaros cantam para o sol que chora de alegria.

Autor: Charles Magalhães Dedeco





















Os lírios estão vivos


A terra esta de cabeça para baixo.
O solo que era fértil
Amanheceu em lodo.

As ruas alagadas em lagrimas.
E os barcos navegam em contramão.
Ouso gritos sem explicação.

Porque de todo esse ódio?
Porque de todo esse egoísmo?
Veja esse céu tão lindo.
Os pássaros cantam o hino do divino espírito.

Olhe os lírios ao longe
E os jardins de flores.
Não tenhas vergonha de chorar.
A luz da verdade
Ira te guiar...

Autor: Charles Magalhães Dedeco



  






Estações do coração



Teu sentimento profundo

Luta com seu próprio escudo.

Com as mãos do amor invisível

Com o mar da tristeza em fúria.


O amor esta sendo semeado

Em jardins de pecados.

Não duram muito tempo

Na tempestade da alma!


Teu sentimento profundo

Luta com seu próprio escudo.

Com a mão do amor invisível

Com o mar da tristeza em fúria...


Autor: Charles Magalhães Dedeco














Salvem as flores!



Em jardins brotam novos amores.

Mas as flores mortas com sede e sem vida.

Quase vencida pela morte...


Pobre flor! Esperando alguém regá-la.

Com gotas de água de amor.

Hoje, até mesmo a chuva secou.


As nuvens ficaram paradas.

As flores não desistem.

Elas sabem que a esperança sempre existirá!


Suas pétalas estão murchas.

Sem aroma, e podres no jardim quente e frio.

Porem deixou no mundo suas sementes.


Pequenos afetos.

Crianças verdes

Novos oxigênios em versos...


Autor: Charles Magalhães Dedeco










Quem se foi com a lua



A lua se foi.

O nosso amor quem foi?

Foi a chuva que não me molhou?

Foi o beijo da lua que em mim se afogou!


O dia terminou.

O nosso amor imortal acordou.

Apenas veja como começou.


A solidão eu vi.

Medo eu não senti.

Até conhecer o fim...


As tempestades começaram.

As tristezas enraizaram.

E a lua fugiu com o dia nascente.


Autor: Charles Magalhães Dedeco













Cotidiano da violência



Os dias estão contados.

O que vem por ai é guerra?

Sentimentos de plástico?

Vidas presas pelo dinheiro e a cobiça.


Não engane teu coração.

Não causem essa terrível destruição.

Nesse filme da vida torta.


Nesse passado queimado.

Nesses dias parados.

Em espinhos em flores vocês viverão?


Num presente decadente e envenenado?

Bombas caem por todos os lados.

E vejo corações gelados e mornos brigarem.


Autor: Charles Magalhães Dedeco













Quem me entende?



Sou o arquivista dos meus sentimentos.

Guardo as boas lembranças

Em caixas numeradas.


Memórias tristes

Cansaço pensativo

Paciência exclamativa


Sou o letrista dos poemas sem métricas

E sem remetentes.

Então, converso comigo mesmo.


Somente assim eu quase me entendo.

Acho que somente Deus me entende.

Consegui refletir minha poesia.


Pois minhas letras são tortas e repetidas.

Algumas estão mortas

E outras com mais vida...


Autor: Charles Magalhães Dedeco










Ser poeta



Quando escrevo minhas poesias

Sinto o dever de dizer o que sinto e vejo.

Alem das palavras faço minha vida resumida

Em pequenos poemas da alma.


Acordo com meus pensamentos

Dizendo que nunca é tarde

Para acordar do sono cego do mundo.


Dizer palavra sabia.

Minguada

Amarga pagina

Desbotada...


Noite mágica

Prateada

Estrelas rasgadas

No céu de lágrimas...


Autor: Charles Magalhães Dedeco











O sol se faz sozinho



O sol ilumina o homem.

Meu pensamento é um poema

Que nasce no peito.


Não ficaras em vão

O que você guardou de recordação.

No diário, no orvalho do dia

Na solidão viva.


O sol ilumina o homem

De braços abertos

Na humanidade de se fazer humano.


O sol nasce sozinho

Pássaro sem ninho...

Pássaro sem ninho...

Nos passos sozinhos.


Autor: Charles Magalhães Dedeco












Infância que voltou



Hoje acordei de manhã

E vi um filme passar por minha memória.

Lembrei-me de meus velhos amigos.


No espelho da infância

Onde tudo era tão calmo

Tudo tão verdadeiro e puro.


Tempo esse que não passava.

A lealdade e a afeição era uma infinita humildade.

Uma infinita inocência... Uma infinita humanidade.



Autor: Charles Magalhães Dedeco

















Paixão da alma!



A paixão é uma força que si ama.

Que renasce das cinzas.

É o amor, é o cantor.

É a música do saber.


É a poetiza que vive sozinha

Que é cercada de esperança.

É o auge da emoção.

Perde-se no infinito tempo...


Tempestade no coração

No calor do sol

Vento que sopra e sacode

A floresta do desejo.


É o trovão e a iluminação dos olhos.

É o abraço da lua

É a lua e o sol que eternamente se amam.

Amar, amor, amar, o que é esse despertar?


Autor: Charles Magalhães Dedeco





A face do amor



Tendo em minhas mãos o amor.

Que não quer final.


O grito mais alto da alma.

Caminhando vivo sobre o sol.


Não podemos nos perder

Oh, querida amada


Sou um solitário

Vagando atrás

A procura de um amor que não seja imaginário.


Uma bela de vestido vermelho.

Resgato a noite

Em grãos de poemas e repleto de estrela natural.


Na face do amor

Nasci à confiança

Existe a mudança...


Na face do amor

Inventar uma nova musica

Na chuva e no sol puro.


Autor: Charles Magalhães Dedeco





Nosso futuro é governado



O presente cego vem nos cegando.

O tempo de criança esta acabando.

A porta do pecado vem poluindo rios.


Sempre discreta para nos cegar.

Vamos então fazer nossa parte

Plantar um bem mais sustentável.


Os homens que governam o mundo

Dizem serem eles o próprio futuro

Mas sabemos que eles são planos escuros.



O presente cego vem nos cegando.

O tempo de criança esta acabando.

A porta do pecado vem poluindo rios...



Autor: Charles Magalhães Dedeco












Flores dos poetas



Não apague a luz

Em noites mudas.

Vejo tudo tão só

Porque não tem sol nessa manha.


Não me deixes sozinho

Agora eu quero tua presença.

Porque o dia perdeu o brilho.

E as horas ficaram manchadas e os meses pacatos.


Meu coração navegante

Agora navega distante...

Por isso não me deixes só.

Nem feche a porta do sol.


Nosso sol quer existir.

Não arranque a luz.

E o meu coração azul.

Deixe-me de iluminação eu vestir.


A poesia é a solução!

Então não apague a luz

Nas noites mudas

O futuro ainda tem esperança e mudança.


Poesia, poesia sempre lute poesia!


Autor: Charles Magalhães Dedeco



Tuas cartas



Tuas cartas

Aquelas cartas

Me fez encontrar conforto.


Em letras douradas

Em seu coração vermelho de batom

Num desejo do beijo de flor.


Aquela carta era um bilhete premiado.

Um profundo romance registrado.

Essência do mais perfeito e tempestuoso amor.


Em tuas cartas

Aquela carta de perfume

Me fez encontrar conforto.


Em letras douradas

Em seu coração vermelho de batom

Num desejo do beijo de flor.


Autor: Charles Magalhães Dedeco










Mais triste do que isso



Tem coisa mais triste do que a semente sem a terra?

Do que a solidão sem o poeta.

Do que o cheiro suave da flor

Sem ninguém para cheirá-la?


Tem coisa mais triste do que o futuro sem planos?

Do que a esperança sem a fé.

Do que a vida sem a verdade e amor.

Sem a fome de luz e sede por paz.


Mais triste que isso somente

Eu, sem minha amada poetisa...


Autor: Charles Magalhães Dedeco

















Assim nasce o sol



Voltou o dia em uma noite clara.

Numa chuva de sol.

Sai de casa a procura de um amor puro.

Porque não me perdi no vazio do mundo.


Atrás da dela e da felicidade eu fui.

Rumo pela vida

Achando a saída no coração.


O sol radiante me fez forte.

Até a noite clara voltou

Na chuva de sol.


A lua escura virou dia.

Nos pés da Alma e da sabedoria.

Então a simplicidade ressuscitou.

Assim o sol renasceu...


Autor: Charles Magalhães Dedeco












A face da noite



Acho que a insônia quer ser minha amiga.

Ela não me deixa dormir.

Com os olhos bem abertos

Ela me serve café e liga o som bem baixinho.


Assim ninguém acorda

O telhado fica dormindo

Apenas eu e a insônia sorrindo.


Fico pensando na amada.

Na bela mulher de cor de rosa e vermelho.

Mas a cama esta toda vazia.

Sem nenhuma bela poetisa, a cama toda fria.


E a porta aberta perdeu a chave do coração.

Onde estaria minha amada?

E este pesadelo da vida escura e solitária.


Na realidade da noite dentro do meu lar.

Vejo que somente pelo amor

É que vale apena lutar.

Que vale apena viver.


Na realidade da noite a musa não apareceu.

E eu vi que não era sonho.

E não era sonho. Era solidão.


Autor: Charles Magalhães Dedeco



O amor e a paixão



Era o começo sem fim.

Endereçado para seu coração feliz.

O passado que não passou

O presente que começou

Canção intima

Para o dia de verão

Inverno que busca calor

Na alma e no coração.

Flor com mel

Fonte de vida

Olhos da conquista

Escultura perfeita

Folhas dançarinas

Vento suave e forte apaixonante.

Amor, paixão dor e ciúmes.

O que é o amor?

O que é a inflamada paixão?...


 Autor: Charles Magalhães Dedeco












O mundo de plástico



Lá fora

Na noite

Vazia e oculta

Fazia frio

Sem nenhuma musica.


O pecado anda por todos os lados.

De segunda a domingo

De futilidades a cegueira na alma

Nas ruas e nas cidades inseguras.


Lá fora

Na noite

Vazia e oculta

Fazia frio

Sem nenhuma musica.


Autor: Charles Magalhães Dedeco













Lá vou eu



Lá vou eu novamente

Com a nova caneta do modernismo.

Adentrando a velha porta do conhecimento.

Vendo a sabedoria pensativa


Lá vou eu novamente

Lendo compulsivamente

Escrevendo a verdade

A poesia e a prece.


Lá vou eu novamente

Com a nova caneta do modernismo.

Adentrando a velha porta do conhecimento.

Vendo a sabedoria pensativa



Autor: Charles Magalhães Dedeco














Minha força civil



Camuflado no meio do nada.

Num campo de guerra.

Numa cidade castelo.

Nas forças armadas.

Em boina preta.

Quem tem razão?

Quem tem coração?

Em tropas andantes

 Em armas dançantes

O ódio é o único sorriso desse lugar.

Aqui se aprende a matar e a morrer.

Os blindados esmagam inimigos.

Alguém nesse lugar sabe

Ao menos sorrir e dizer obrigado?


Autor: Charles Magalhães Dedeco















Viver



Meu viver é tudo um aprender.

Infinito ser.

As ondas nos fazem cair.

E é nela que ganhamos força para seguir.


A luz do viver sempre me abraça.

Ela é a esperança eterna que nunca acaba.

A solidão às vezes aparece

De forma solidaria, ela sorri.


Meu viver é uma reflexão

Uma alma lavada

Noite puras

E silêncios musicais...


Autor: Charles Magalhães Dedeco















O beijo da saudade



Se sentires um vento beijar tua boca.

Saiba que é minha boca que lhe beijas

Em silencio e em molhado beijo.


Nesse desejo sem maldade.

Nesse firmamento, nessa eternidade.

Impacientemente te procuro mulher saudade.


Se sentires um vento beijar tua boca.

Saiba que é minha boca que lhe beijas

Em silencio e em molhado beijo.


Nesse desejo sem maldade.

Nesse firmamento, nessa eternidade.

Impacientemente te procuro mulher saudade.



Autor: Charles Magalhães Dedeco













A procura da perfeição



Sou um iluminado.

A procura de uma linda mulher.

Não sou um anjo.

Nem o mais puro santo.


Minha alma é de açúcar.

Não sou perfeito

Sou um ser humano, um poeta pecador

Ao encontro de minha perfeição


No caminho de luz.

Sou um iluminado.

A procura de uma linda mulher.

Não sou um anjo.

Nem o mais puro santo.


Minha alma é de açúcar.

Não sou perfeito

Sou um ser humano, um poeta pecador

Ao encontro de minha perfeição

No caminho de luz.



Autor: Charles Magalhães Dedeco







Reveja a vida



Esperança é ver todos vivendo pela paz.

Sem se preocupar com o amanha que não chega.

Porque agora é toda hora ser feliz.

E aprender com os outros a sorrir.

Rir é querer seguir.

Amar é chorar para limpar a alma.

No sonho que não é passado.

Com o passado que é somente poeira.

Achar a luz e saber que tudo já passou.

Esperar um amor e saber que o amor não acabou.

A fé na alma deixa de pé todo ser humano.

Maior que tudo é a esperança de viver.

Olhos claros poesia por todos os lados.

Reveja a vida, ela quer aprender com você.


Autor: Charles Magalhães Dedeco















Acordado



Ouso meus gritos de poeta.

No silencio da noite.

Que nunca dorme.


Pronuncias de verdade.

Poesias unificadas.

Sabedoria da eternidade.


Ouso as estrelas falarem

E os grilos cantarem.

Uma melodia de viagem.


Os carros me acordam

O silêncio não me deixa dormir

Tudo fica tão calmo e minha inspiração explode.


Tudo fica calado e agitado.

Minha alma queima pureza.

Meu coração ferve poesia.



Ouso meus gritos de poeta.

No silencio da noite.

Que nunca dorme.


Acorda cidade!

Acorda verdade!

Viva o amor entre as cidades.


Autor: Charles Magalhães Dedeco




Adolescência



Juntando pedras pelas ruas.

Atirando em garrafas vazias.

Seguindo o caminho...

Cantando a musica sem espinho...


Os poemas vêm e vão.

Motor ligado sim ou não.

E as noites mal dormidas

Faço uma poesia que me faça feliz.


O vento levou tudo embora

Mas o amor continuou.


 Juntando pedras pelas ruas.

Atirando em garrafas vazias.

Seguindo o caminho...

Cantando a musica sem espinho...


O vento levou tudo embora

Mas o amor continuou.


Os poemas vêm e vão.

Motor ligado sim ou não.

E as noites mal dormidas

Faço uma poesia que me faça feliz.


Autor: Charles Magalhães Dedeco




Pássaro visionário



Carros fumam o nosso ar.

E orquídeas e jasmins morrem.

Por praga ou azar.


Vejo pessoas passarem

 Pelos grandes centros urbanos

Como se fossem manequins

Do modernismo tolo.


Marcas, bonés, camisetas...

Até o vira-lata veste grife.

Homens parasitas pensam serem reis do mundo.


Burgueses, gravatas, poder e politicalha.

Somente não compram o pássaro visionário.

Que voam nas noites e dias pela montanha sagrada.

Não compram os puros de coração.


Autor: Charles Magalhães Dedeco












O começo



Sinto falta daquele seu doce sorriso.

De sua simplicidade.

Sinto falta dos tempos

Em que ficávamos até tarde admirando

O suave brilho da noite.


Sinto falta da nossa amizade.

Dos tempos que conversávamos

Sobre coisas da vida e do mundo.

Da luz dos teus olhos.


Sinto saudade do seu jeito de falar

E o gosto de suas palavras

Da sua celestial boca vermelha.

Sinto falta daquele seu doce sorriso.

De sua simplicidade.


Autor: Charles Magalhães Dedeco













Você lua pura



Você deixou um espaço

De poesia inacabada.

Noites serenas

E manhas claras e verdadeiras.


Você bela musa

Em meu coração vive.

Na estrada iluminada.


Você me deixou mil beijos.

E uma saudade que não partiu

                       Você deixou um espaço

De poesia e amor inacabado.



Autor: Charles Magalhães Dedeco















Amor e olhar



O teu olhar em mim brilha.

Na tempestade mais viva.


Lembra-se daquele sol.

Em que te via com olhar de espanto.

Com medo dos trovões e relâmpagos.


Perto de mim tu estavas feliz.

Nosso amor era unificado.

O teu olhar em mim brilha.

Na tempestade mais viva.


Autor: Charles Magalhães Dedeco


















Nós e o mundo



Sobre a morte das tardes.

Os raios caíram na sombra do nosso amor.

A luz da manhã foi esquecida.


Quando virá o dia seguinte?

Será que voltarei atrás do passado?


Sozinho eu não quero ficar.

Me dê sua confiança.

E tudo vai passar.


Às vezes é preciso chorar

Para purificar a alma.


Às vezes é preciso sorrir

Para não enferrujar a alegria.


Sobre a morte das tardes.

Os raios caíram na sombra do nosso amor.


Autor: Charles Magalhães Dedeco










Estrada do mundo



A fumaça das ruas cega minha visão.

As lagrimas do amanhã caiu em vão.

As arvores cinzas afogam-se e são derrubadas.


Restos de esperança me aquecem

Desse inferno sem coração.


A fumaça das ruas cega minha visão.

As lagrimas do amanhã caiu em vão.

As arvores cinzas afogam-se e são derrubadas.


Restos de esperança me aquecem

Desse inferno sem coração.


Autor: Charles Magalhães Dedeco
















Avante Querer!



Entreguei-me a ela.

Fui aos céus e voltei

Com asas de papel e poesia.


Eu ergui meu próprio mundo.

Por não acreditar

Nas promessas vazia.


Degustei a lua

Desenhei a rua

Fiz chover tempestades de estrelas.


Nosso amor caminhava com uma balança da alma.

Mas seu beijo mulher estrelar

Fazia-me viver e respirar.


Degustei a lua

Desenhei a rua

Amei a musa mulher e essa lua.


Autor: Charles Magalhães Dedeco










Dois corações



O pássaro que voa livre.

Sinto inveja e estou triste.

Pergunto-me se sou capaz

De melhorar o mundo.


Bela poetiza nossa voz é forte.

Nossa esperança explode paz e bondade.

O pássaro que voa livre.

Sinto inveja e estou triste.



Autor: Charles Magalhães Dedeco



















Despertar



Amante da noite.

Forasteiro do dia eu sou.

Minha vida é um copo de alegria.


Embriago-me de sensibilidade.

Essa é minha maior verdade.


Ao despertar de um sono

Vi uma luz flutuar no ar.

E adentrou a janela.


Amante da vida

Forasteiro do dia.

Eu sou!


Na chuva avante navego...

Pelo vidro da janela de luz.

Forasteiro virtuoso e puro eu sou!


Autor: Charles Magalhães Dedeco











Velha noticia de sempre



Não há nada para dizer.

Vou ler jornais e revistas antigas.

As gravuras perderam o sentido.


Não há palavras

Não há palavras...

Ontem tinha Graça!


Mas agora não há nada para ver

Vou ouvir musica

O noticiário esta repetido...


Autor: Charles Magalhães Dedeco


















Nosso amanhã



Mais um dia se passas.

Sobre as madrugadas minhas.

Caíram nossas estrelas

Subiram tristezas.


Acabaram-se os dias.

A noite pura para mim

Tornou-se moradia.

Tornou-se inspiração minha.


Nossas alegrias desbotaram perdidas.

O sol sem vida.

O som em silencio

Longe do amor


Quem pisou nas flores?

Quem apagou o final do livro da vida?

Quem não soube amar?

Quem não sabia sonhar nesse amanha?...


Autor: Charles Magalhães Dedeco










Seu rosto ao sol



Nessa triste noite de inverno.

Sigo no caminho incerto.

Correr atrás da lua

Ou esperar o verão acabar.


Minha bela amada.

Que ao sol deita-se.

Atirarei uma flecha de amor

Em seu coração.


Para apagar essa dor imensa.

Mas nessa triste noite deserta

A união me da uma linda canção.

Tamanha felicidade que me arde o amor.


Bela amada, seu rosto ao sol.

Parece um sonho real.

Seu rosto sobre a lua

Parece a mais linda musa!



Autor: Charles Magalhães Dedeco









Entre o amor e as palavras



Você disse que me ama.

Mesmo no sonho tu me chamas.

Nas estrelas do céu.

Nas noites de mel.

Tu me amas às vezes me odeia.

Entre lagrimas e sorrisos caminha o coração.

Há noites em que fico pensando

Em você dias inteiros.

Inerente é o nosso coração!

Palavras, cartas, flores...

Nosso amor é como algodão doce

Derrete na doce boca.


Autor: Charles Magalhães Dedeco

















Plantando luz



Oh, triste amor porque choras tanto?

Veja esse lindo céu santo.

E saiba que eu te amo.


Oh, triste amor porque choras tanto?

Saiba que você é minha felicidade.

Oh, triste amor, te amo poemas inteiros.

É verdade.


Oh, triste amor porque dessa tristeza.

Quero te fazer feliz em toda a estação.

Saiba que te amo...

Isso é verdade.


Autor: Charles Magalhães Dedeco
















Jardim envenenado



Já está a plantar petróleo?

No mar morto?

As luzes apagaram?

A janela do sol fechou?

Porque o mundo caminha assim?


E os pés são feitos de argila?

E a poluição?

E esse ruim clima?

Esse espinho e esse caixão?

Porque o mundo caminha assim?



Autor: Charles Magalhães Dedeco

















Viver o agora



Quem é minha anjelica?

Que me sorri e não me deixa mentir.

Deve ser luz, que me seduz a amar.


Quem é minha Anjelica?

Que não me deixa sozinho.

Nem trancado num quarto quieto e vazio.


Quem é minha Angélica?

Que tenta achar um caminho perfeito.

Quem é minha musa?


O anjo da guarda invisível de luz.

Enviado por Deus.

Quem abriu a porta e deixou a esperança acordada?


No espelho não sou mais aquele cara fechado.

Meu coração esta por todos os lados.

Minha amada, a deusa me trouxe paz.


Seguirei hoje essa melodia.

Bossa nova, rock, um folk seguirei...

Seguirei os anjos de Deus, amem!

Autor: Charles Magalhães Dedeco







Criando um sul azul



Com um céu abrindo no sul.

Num dia que nasce mais azul.

No olhar atento da América do sul.

Vejo o progresso e a luz.


Num vento celestial de poesia.

Nos morros, nas cidades, nos serenos.

Nas fabricas, nas indústrias, nas ruas...


Com um céu abrindo no sul.

Num dia que nasce mais azul.

No olhar atento da América do sul.

Vejo o progresso e a luz.


Autor: Charles Magalhães Dedeco
















Declarações de poeta



Brincamos no sol.

Dormimos no silencio da noite.

Acordamos de um sonho feliz.


Fazemos planos.

Conversamos sobre o amor.

E os nossos desenganos.


Brincamos na areia.

Na chuva que namora a natureza.

Acordamos no luar açucarado.


Acordamos de um sonho.

De dois corações apaixonados.

Vamos fazer o amanha.


Cantamos músicas de esperança.

Os desenganos viram

Declarações de poeta...


Autor: Charles Magalhães Dedeco










A guerra do mundo



Neste mundo de guerra

Quem vai nos salvar

Neste mundo de selva

Não quero morar.


Neste mundo de guerras

Não há sol

Não a sorriso

Nem abrigos.


Os tiros ferem os homens

Crianças pegam em armas de fogo

Esse inferno de mundo

Em que a vida não tem honra.


Autor: Charles Magalhães Dedeco















 Dom Quixote



Caminhava alegremente

Um fidalgo com armaduras reluzentes.

Caminhava e tropeçava em pedras de açúcar.

Ele era de La mancha.


O sonhador da Espanha.

O leitor que se dizia cavalheiro.

O herói da justiça.

O inventor de batalhas esquisitas.


Caminhava alegremente

Um fidalgo com armaduras reluzentes.

Caia e levantava de um cavalo feito de madeira.

Sua espada era feita de areia.


Sobre o mar das ilusões

Ele enfrentava dragões

Moinhos de vento.

Sua própria loucura .


Seu coração era de Dulci.

Seu fiel escudeiro era Sancho.

Seu amigo era um cavalo chamado Guaporé.

Quixote era um andante da estrada de nuvem.



Autor: Charles Magalhães Dedeco




Sombras da noite



Nas sombras da noite

Meu coração se esconde.

Nas estrelas acordadas

Busco uma amada.


No sol da amizade

A simplicidade mergulha

Em meu coração de poeta.


Pelas sombras da noite

Eu ando devagar

Pelas ruas de qualquer lugar.

Cantando e cantando somente por cantar.


Onde tu fores eu vou

Na estrada do céu claro e puro

Eu estou.


Mas sem você o céu escurece

A planta do nosso amor não cresce

Tudo padece e fica mudo.

O que era claro fica escuro.


Autor: Charles Magalhães Dedeco







Solitário



Eu hoje subi a serra

Segui meu caminho.

Sobre a lua cheguei à poesia.


Solitário do inverno

Solitário da primavera

Talvez encontre o verão

Talvez encontre o verão

Talvez não.


Fazer uma musica

Oferecer uma musica

Solitário

Na solidão.


Vou ficar em casa criando poesia

E o que viera ser

Você é o meu dia


Amar-te na frente da lua

Amar-te longe da espuma


Quem é você que vive na lua

Mulher lua

Quem é você...


Autor: Charles Magalhães Dedeco




Romance de adolescente


 

Eu sou o que sou

Eu sou o que sou

Um poeta do amor.


Eu vi você sozinha num domingo

Procurando um abrigo

Querendo um amor

Querendo um romance.


Tão sozinha você estava

Você passeava pelos campos

Teus sentimentos são de cristais.


Talvez no carnaval

Você saia comigo

Teus sentimentos são de cristais.

Talvez no carnaval

Você saia comigo


Fiz uma musica para você

Numa noite tão bela

Oh, minha garota, oh, minha garota...


Autor: Charles Magalhães Dedeco








Vamos passear



Vamos passear pela rua

Vamos passear...

Eu quero passear

De mãos dadas

De mãos dadas

Subindo e descendo as escadas.


Que solidão que nada

Vou subir as escadas

Até encontrar um amor


Já é tempo de renovação

As cartas estão fora do baralho

Reis e rainhas estão solitárias.


Escute minha voz

Que fala enquanto você dorme

Amanhã quero namorar


Subindo as escadas

Que solidão que nada

As cartas estão fora do baralho


E você não deixou nem um recado

Que solidão que nada

Vou subir as escadas


Autor: Charles Magalhães Dedeco



Primavera chegou



Primavera chegou e meu amor voltou.

Os sinos começaram a chorar.

De saudade, de verdade.


Tempo começou a girar.

O meu amor voltou.


Tudo continua o mesmo.

Na cidade o vento.

Tudo continua o mesmo.

Na cidade que dormi cedo.


Tudo continua o mesmo.

Na cidade o vento.

Tudo continua o mesmo.

Na cidade que dormi cedo.



Autor: Charles Magalhães Dedeco












Apaixonado


Não da mais para viver

Sem amor e sem calor.

Há dias em que fico pensando

Como seria um amor eterno.


Um romance que nasça do coração

Um romance que nasça da razão.

Há dias que eu fico sozinho

Com o coração apaixonado.

Há dias em que fico assim...



Autor: Charles Magalhães Dedeco



















Esta um lindo sol



Esta um lindo sol de verão.

Esta um lindo sol.

Então porque ficar em casa


Vou sair com minha namorada.

Porque lá fora não chove não.

Esta um lindo sol de verão.


Em casa não tem mais graça

Ficar sozinho, não tem mais...

Sozinho eu não quero ficar não.

Porque lá fora esta um lindo sol de verão.


O tempo passa, o tempo é felicidade.

O tempo se esgota, e sei que é verdade.

Sozinho eu não quero ficar não.

Porque lá fora esta um lindo sol de verão.


Vou passear com minha linda namorada.

Neste magnífico sol de verão.

Não há mais poeira no chão.

Não há mais ilusão.

Não há mais.



Autor: Charles Magalhães Dedeco





Coisas de poeta



A vida quer mel.

Uma fatia de amor.

Quero devorar a melodia.

E chorar pelas coisas esquecidas.


Crianças fazem castelos na areia.

E pintam o mundo de azul e amarelo.

Em meio ao sol do verão.


A noite chega e cai.

Na janela vejo pessoas caminhando lentamente.

Então desenho o céu com luz.


Coisas de poeta

Sonhar com um mundo mais feliz

Coisas de poeta...


Autor: Charles Magalhães Dedeco













O dia esta escurecendo



Onde esta o poeta?

Escondido nas palavras triste.

O que restou?

Escombros de uma saudade

Uma solidão sem piedade.


Onde esta o poeta?

Sofrendo pelos outros.

Tentando achar a solução.

Para clarear a escuridão


Onde esta a lua viva?

A praia esta escura e vazia.

E a poesia sumiu.


Autor: Charles Magalhães Dedeco















Até encontrá-la



Dias passam

Sigo e respiro

Com calma...

A chuva lavou minha alma.

As virtudes caminham erguidas.


Sonhos meus que mergulham

Na esperança.


Dias passam

E minha amada onde esta?

Sigo e respiro

Com calma...

Até encontrá-la.


Autor: Charles Magalhães Dedeco















Biblioteca do tempo



No grande livro sem capa.

Faço o tempo ter estradas.

Nas estantes empoeiradas

Livros que fazem parte de mim.

Poetas da noite

Poetas do dia

Nessa biblioteca não há solidão.

Faço uma historia de amor

Em pleno século 21.


Autor: Charles Magalhães Dedeco




















Passa tempo



São tantos os sonhos.

Que tenho medo de acordar.

São tantas as lagrimas

Que tenho medo de me afogar.


São tantos os nadas.

Que minha solidão reclama.

São tantos os caminhos.

Que prefiro escolher a humildade.


Autor: Charles Magalhães Dedeco




















Lei da Sobrevivência




Soldado eu não quero ser.

Quero ser poeta e artista.

Mas essa violência

Vestida de branco

Não é coisa boa.


Poderosos jogam sorrindo.

Escondidos em gravatas e cofres gentis.

Larápios abraçados pelo povo.

Cuidado para não cair na selva.

Na lei da sobrevivência.


Os mais fracos viram jantar.

Se cuide!

O mundo virou a selva moderna

Do surrupiar...

Se cuide.



Autor: Charles Magalhães Dedeco









A tempestade e o pássaro



Uma chuva começa e o pássaro com pressa corre

Com medo da tempestade...

Cada trovão que cai é um barulho de espanto

Para o passarinho assustado.

A chuva então parou!

Um coral de pássaros cantam para o sol que chora de alegria.


Autor: Charles Magalhães Dedeco






















Os lírios estão vivos



A terra esta de cabeça para baixo.

O solo que era fértil

Amanheceu em lodo.


As ruas alagadas em lagrimas.

E os barcos navegam em contramão.

Ouso gritos sem explicação.


Porque de todo esse ódio?

Porque de todo esse egoísmo?

Veja esse céu tão lindo.

Os pássaros cantam o hino do divino espírito.


Olhe os lírios ao longe

E os jardins de flores.

Não tenhas vergonha de chorar.

A luz da verdade

Ira te guiar...


Autor: Charles Magalhães Dedeco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

(Rm 12. 9)

“O amor seja sem hipocrisia.”

Eclesiastes 9:11

Percebi ainda outra coisa debaixo do sol: Os velozes nem sempre vencem a corrida; os fortes nem sempre triunfam na guerra; os sábios nem sempre têm comida; os prudentes nem sempre são ricos; os instruídos nem sempre têm prestígio; pois o tempo e o acaso afetam a todos.

- João 3,19-21

"Ora, este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a luz, pois as suas obras eram más. Porquanto todo aquele que faz o mal odeia a luz e não vem para a luz, para que suas obras não sejam reprovadas. Mas aquele que pratica a verdade vem para a luz. Torna-se assim claro que suas obras são feitas em DEUS."

- Mt 5,11-12

"Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós."

1João 2,9-11


"Aquele que diz estar na luz, e odeia seu irmão, jaz ainda nas trevas. Quem ama seu irmão permanece na luz e não se expõe a tropeçar. Mas quem odeia seu irmão está nas trevas e anda nas trevas, sem saber para onde dirige os passos; as trevas cegaram seus olhos." -

- Pr 6,16-19

"Seis coisas há que o Senhor odeia e uma sétima que lhe é uma abominação; olhos altivos, LÍNGUA MENTIROSA, mãos que derramam sangue inocente, um coração que maquina projetos perversos, pés pressurosos em correr ao mal, UM FALSO
TESTEMUNHO QUE PROFERE MENTIRAS E AQUELE QUE SEMEIA DISCÓRDIA ENTRE IRMÃOS."

- 2Tm 4,3-4

"Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si. Apartarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas."

- Zc 8,16-17

"Eis o que deveis fazer: falai a verdade uns aos outros; julgai às portas de vossas cidades segundo a justiça e a sinceridade. Não maquineis o mal em vossos corações contra o próximo; não jureis falso, porque aborreço tudo isso - oráculo do Senhor."

- 1Tm 4,1-2

"O Espírito diz expressamente que, nos tempos vindouros, alguns hão de apostatar da fé, dando ouvidos a espíritos embusteiros e a doutrinas diabólicas, de hipócritas e impostores que, marcados na própria consciência com o ferrete da infâmia."

Efésios 6:14

Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a couraça da justiça


- AP 21,27

"...NELA NÃO ENTRARÁ NADA DE PROFANO NEM NINGUÉM QUE PRATIQUE ABOMINAÇÕES E MENTIRAS, MAS UNICAMENTE AQUELES CUJOS NOMES ESTÃO INSCRITOS NO LIVRO DA VIDA DO CORDEIRO."

- ROMANOS 1,18

"A IRA DE DEUS SE MANIFESTA DO ALTO DO CÉU CONTRA TODA A IMPIEDADE E PERVERSIDADE DOS HOMENS, QUE PELA INJUSTIÇA APRISIONAM A VERDADE."

Atos dos Apóstolos 16:31

Eles responderam: "Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa".

Mateus 5:9

“Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus.”

Romanos 14:19

“Assim, pois, sigamos as coisas que servem para a paz e as que contribuem para a edificação mútua.”

1 Coríntios 13:13

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

1 João 4

E vimos e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho para ser o Salvador do mundo. Se alguém confessa publicamente que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele em Deus. Portanto, dessa forma conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos plenamente nesse amor. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele. …

1 João 5:5

Quem é que pode vencer o mundo? Somente a pessoa que crê que Jesus é o Filho de Deus.

Nada escapa aos Seus olhos

Deus é bom e justo. Nada escapa aos Seus olhos, e nenhuma atitude pode ser escondida d'Ele.Os perversos não ficarão impunes. Quem não se arrepender dos seus maus caminhos será julgado. Por esse motivo, podemos descansar porque Deus está controlando tudo, e não devemos fazer justiça pelas nossas próprias mãos.

Provérbios 15.21

O tolo se diverte com as suas tolices, mas o sábio faz o que é certo.

Jesus Cristo

Respondeu Jesus: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim.

João 14:6


1 Timóteo 6

Pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos. 1 Timóteo 6

São Mateus, capítulo 6

"Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro".

Apocalipse 20:15

"E todo aquele que não foi achado inscrito no livro da vida, foi lançado no lago de fogo."

(Provérbios 25:26 )

A pessoa boa que se deixa levar por uma pessoa má é como uma fonte de água barrenta ou como um poço contaminado.

Lucas 12:15

Acautelai-vos e guardai-vos de toda espécie de cobiça; porque a vida do homem não consiste na abundância das coisas que possui.”

Salmos 91:11

"Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos."

Salmos 91:11

I Pedro - 2:1

Livrem-se, pois, de toda maldade e de todo engano, hipocrisia, inveja e toda espécie de maledicência.

(1 Jo 3:18)

“Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade.”

1 Timóteo 6:9,10

Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição,pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos.

1 Timóteo 6

Pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos.

(MATEUS 6 v. 5-6)

“- Quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles gostam de orar de pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas para serem vistos pelos outros. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: eles já receberam a sua recompensa. Mas você, quando orar, vá para o seu quarto, feche a porta e ore ao seu Pai, que não pode ser visto. E o seu Pai, que vê o que você faz em segredo, lhe dará a recompensa.”

Salmos 1:1

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.

(II CORÍNTIOS 11 v. 13-15)

“Aqueles homens são apóstolos falsos e não verdadeiros. Eles mentem a respeito dos seus trabalhos e se disfarçam, apresentando-se como verdadeiros apóstolos de Cristo. E isso não é de admirar, pois até satanás pode se disfarçar e ficar parecendo um anjo de luz. Portanto, não é nada demais que os servidores dele se disfarcem, apresentando-se como pessoas que fazem o bem. Mas no fim eles receberão exatamente o que as suas ações merecem.”

Pv 1 4:6 Rei Salomão

Quem zomba de tudo quer ser sábio e não consegue, mas quem tem juízo aprende com facilidade.

Provérbios 14

A pessoa simples acredita em tudo, mas quem tem juízo está sempre prevenido.

(ROMANOS 2 v. 1)

“Não importa quem você seja não tem desculpa de jeito nenhum. Porque, quando julga os outros e faz as mesmas coisas que eles fazem, você está condenando a você mesmo.”

Jeremias - 23:14

Mas, entre os profetas de Jerusalém vejo coisas hediondas: adultério e hipocrisia. Encorajam os maus, para que nenhum se converta da maldade. A meus olhos são todos iguais a Sodoma e seus congêneres semelhantes a Gomorra.

Provérbios 14.7

Afaste-se das pessoas sem juízo porque gente assim não tem nada para ensinar.

Provérbios 14

Há caminhos que parecem certos, mas podem acabar levando para a morte.

Tiago 4.4

“Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.”